“O Ídolo”. Primeiro filme baseado nos argumentos para cinema de Fernando Pessoa já se pode ver de forma gratuita

"O Ídolo", filme de Pedro Varela

Quantas facetas conhecemos de Fernando Pessoa? Foi poeta, filósofo, dramaturgo, publicitário, astrólogo, crítico literário, mas o que muita gente não sabe é que ele foi também argumentista. Com base no argumento “Note for a thriller, or film“, escrito há quase cem anos, a Samsung desafiou o realizador Pedro Varela a dar vida a esta obra pessoana, através do sistema de câmaras do Galaxy S21 Ultra 5G. Assim nasceu O Ídolo, uma história onde intriga, mistério e suspense se cruzam com a disputa por um objeto precioso a bordo de um navio transatlântico.

Lançado em 2011, o livro “Fernando Pessoa – Argumentos para Filmes” mostrou-nos uma nova faceta da vida e obra de Fernando Pessoa, o seu interesse pelo Cinema e pela sua dimensão artística na perspetiva do autor. Um livro que nos dá a conhecer seis argumentos originais (em português, inglês e francês) que refletem, na sua maioria, temas que todos reconhecemos do mundo pessoano, como as múltiplas identidades do ser e a curiosidade pela natureza humana.

Pedro Varela / DR

Para a produção do filme O Ídolo, foi recriada a Ecce Film, a produtora pensada por Fernando Pessoa com um logotipo desenhado pelo próprio, que seria responsável pela produção dos seus argumentos. O desejo de Fernando Pessoa de criar a Ecce Film foi agora cumprido. O Ídolo é escrito e realizado por Pedro Varela, com produção da Blanche Filmes.

O Ídolo nasce de um argumento inédito, escrito há quase cem anos, em que diversas personagens recebem a difícil missão de transportar um artefacto de valor incalculável a bordo de um navio que faz a travessia transatlântica entre Nova Iorque e Southampton. Este jogo arriscado, que mais parece um estudo sobre a natureza humana, é o ponto de partida de uma aventura onde ninguém é quem aparenta ser. A aventura, contada no formato de curta-metragem, tem a duração de 20 minutos, naquele que é o primeiro filme produzido a partir de um argumento de Fernando Pessoa, a chegar aos ecrãs.

A produção do filme decorreu durante 6 dias, entre Viana do Castelo, a Serra de Sintra e Lisboa, sendo que toda a ação nos remete para o ano de 1928. A realização e a escrita do guião estiveram a cargo do realizador Pedro Varela e o filme foi totalmente rodado com o novo Samsung Galaxy S21 Ultra 5G. O elenco conta com atores nacionais reconhecidos pelo grande público como Tiago Felizardo, Ana Vilela da Costa, Soraia Tavares e Paula Magalhães. O restante elenco é assegurado por participações internacionais.

Se quiseres ajudar a Comunidade Cultura e Arte, para que seja um projecto profissional e de referência, podes apoiar aqui.

Exit mobile version