Depois de acolher evento do Chega, Hard Club distancia-se de qualquer ideologia xenófoba, racista e misógina

DR

Depois do artista Filipe Sambado ter anunciado em comunicado o cancelamento do seu concerto no Hard Club, por este espaço ter acolhido um encontro do partido político Chega e por consequência não se rever na lógica dum espaço que “permite a compactuar com um encontro de ideologia de extrema direita, contando com membros que manifestam uma agenda e um programa racista, xenófobo, homofóbico, transfóbico, misógino e tantos outros adjetivos depreciativos de opressão e intolerância, contra os quais nos posicionamos, expressamos e lutamos.” Agora, também o Hard Club se distancia “solenemente de qualquer ideologia xenófoba, racista, misógina e qualquer uma que não seja a de inclusão e tolerância.

O Hard Club divulgou um comunicado onde se pode ler a posição da equipa que gere o espaço no Mercado Ferreira Borges, no Porto:

“O Hard Club distancia-se solenemente de qualquer ideologia xenófoba, racista, misógina e qualquer uma que não seja a de inclusão e tolerância. Desta forma queremos sublinhar que ninguém na equipa do Hard Club se revê em nenhuma posição de extrema direita e que o evento privado que aconteceu no passado dia 25, e todas as consequentes imagens que daí advieram, são para nós um motivo de repúdio e reprovação. O Hard Club é uma casa que pertence à cidade, que trabalha a inclusão dos mais diversos públicos, credos e cores, e que dispõe de um espaço que tem a missão de ser democrático e tolerante. Em nome da equipa do Hard Club reafirmamos a missão de lutar por um mundo mais justo e inclusivo.

A equipa do Hard Club.”

O concerto de Filipe Sambado, agendado para 14 de Fevereiro no Hard Club, passará para o mesmo dia, pelas 21h, no Maus Hábitos – Espaço de Intervenção Cultural.

Se quiseres ajudar a Comunidade Cultura e Arte, para que seja um projecto profissional e de referência, podes apoiar aqui.

Exit mobile version