Vencedores do Caminhos Film Festival 2016

26 NOVEMBRO, 2016 -

Os vencedores da XXII edição dos Caminhos Film Festival já foram anunciados e os filmes Zeus de Paulo Filipe Monteiro e Cartas da Guerra de Ivo M. Ferreira são os que arrecadam mais prémios. O Grande Prémio do Festival Portugal Sou Eu, foi atribuído a Chatear-me ia morrer tão joveeem…, de Filipe Abranches. A cerimónia de entrega de prémios será hoje pelas 21h45 no Teatro Académico de Gil Vicente.

O júri da Selecção Caminhos, constituído por Rita Salema, Paulo Peralta, João Tordo, Luís Gaspar, Teresa Tavares e Margarida Leitão já decidiram por unanimidade os vencedores da principal secção do festival. O Grande Prémio do Festival, Portugal Sou Eu, foi atribuído a Filipe Abranches por Chatear-me-ia Morrer tão Joveeeeeeem…que o júri premiou pela actualidade e pertinência do tema e originalidade do traço do seu autor.

O filme Cartas da Guerra recebeu o galardão de Melhor Longa-Metragem pela recriação poética, literária e humana do avassalador passado colonial português, o Melhor Argumento Adaptado para Ivo Ferreira e Edgar Medina, pela corajosa interpretação do universo pessoal de um dos maiores escritores portugueses. O filme foi ainda premiado com prémio Melhor Som (Tiago Matos e Ricardo Leal)pela complexidade das texturas na recriação de um ambiente de guerra na África Portuguesa, a Melhor Montagem (Alessandro Comodin e João Nicolau)pelo minucioso trabalho de coerência e construção narrativa e ainda o galardão para Melhor Fotografia para João Ribeiro pela poderosa criação de uma identidade visual de Portugal e das colónias durante a Guerra do Ultramar.

Já o filme ZEUS arrecadou 4 galardões nas categorias de Melhor Actor atribuído a Sinde Filipe pelo compromisso e seriedade na interpretação de uma importante personalidade da História de Portugal e Melhor Actor Secundário a Miguel Cunha pela complexa e inteligente composição com que desempenha um retrato fidedigno a uma época. O filme recebeu ainda os prémios para Melhor Caracterização, Sara Menitra, pela qualidade de reconstituição do estilo de uma época, e Melhor Guarda-Roupa para Sílvia Grabowski pelo rigor, a qualidade e a criatividade do guarda-roupa.

Filme Refrigerantes e Canções de Amor arrecadou os prémios para Melhor Banda Sonora Original de Filipe Raposo, pela simbiose entre a música original e as canções que marcaram uma época e geração em Portugal eMelhor Direcção Artística de Artur Pinheiro pela construção de um divertido imaginário visual que dá cor à realidade.

A lista de galardões da Selecção Caminhos fica completa, com os prémios para Melhor Realizador, atribuído a Rita Azevedo Gomes por Correspondência, pela originalidade da abordagem ao universo da poesia portuguesa. O Melhor Argumento Original, para João Nicolau e Mariana Ricardo por John From, pelo potencial onírico e imaginário descoberto a partir do quotidiano. O Melhor Actriz, para Ana Padrão pelo seu desempenho no filme Campo de Víboras, pela composição intensa e brutal de uma mulher em situação limite. Melhor Actriz Secundária para Elizabete Piecho por O Pecado de Quem nos Ama, pelo retrato pungente, inesperado e transformador de uma mulher numa ruralidade opressiva. O Prémio Revelação atribuído a Leonor Teles por A Balada do Batráquio, pela coragem, aparente leveza e rebeldia com que aborda um dostemas mais preocupantes da actualidade. Melhor Animação para José Miguel Ribeiro por Estilhaços, memória das marcas profundas que são transmitidas geracionalmente.

O prémio Melhor Documentário para Rui Eduardo Abreu, Thierry Besseling e Loïc Tanson por Eldorado, uma viagem crua e despojada pela realidade da emigração e da saudade. Melhor Curta-Metragem foi para Cristele Alves Meira por Campo de Víboras, pela genialidade da abordagem ao universo rude dos inadaptados. Por fim, a Menção Honrosa Curta-Metragem, que foi atribuída a Menina de Simão Cayatte pela originalidade do ponto de vista e a surpreendente construção narrativa.

Os Caminhos estendem a passadeira vermelha hoje às 21h45 no Teatro Académico de Gil Vicente. Esta última sessão é o culminar de 8 dias de festival, onde o público fica a conhecer oficialmente todos os vencedores das mais diversas categorias apreciadas pelos diversos grupos de jurados desta edição e respectiva entrega dos galardões.
Nesta sessão é também divulgado o vencedor do prémio do público “Chama Amarela” numa votação que decorre em todas as sessões competitivas através dos vários boletins de voto distribuídos ao público durante todos os dias do Festival.

Segue a listagem completa dos vencedores da Seleção Caminhos, mas também, da Seleção Ensaios:

Melhor Ensaio Internacional FNAC
“Emily Must Wait” de Christian Wittmoser
Melhor Ensaio Nacional SP Televisão
“Pronto,era Assim” de Patrícia Rodrigues & Joana Nogueira
Menção Honrosa – Prémio Imprensa
“A um mar de distância” de Pedro Magano
Prémio Imprensa
“Eldorado” de Rui Eduardo Abreu
Menção Honrosa – FICC
“Landing” de Filipe Martins
Prémio FICC
“Eldorado” de Rui Eduardo Abreu
Melhor Banda Sonora Original
Filipe Raposo – “Refrigerantes e Canções de Amor”
Melhor Argumento Adaptado
Ivo M. Ferreira e Edgar Medina – “Cartas da Guerra”
Melhor Argumento Original
João Nicolau e Mariana Ricardo – “John From”
Melhor Som
Tiago Matos – “Cartas da Guerra”
Melhor Montagem
Alessandro Comodin e João Nicolau – “Cartas da Guerra”
Melhor Caracterização
Sara Menitra – “Zeus”
Melhor Realizador
Rita Azevedo Gomes – “Correspondências”
Melhor Guarda-Roupa
Sílvia Grabowski –  “Zeus”
Melhor Fotografia
Mário Castanheira – “Cartas da Guerra”
Melhor Direcção Artística
Artur Pinheiro – “Refrigerantes e Canções de Amor “
Melhor Actriz Secundária
Elisabete Piecho – “O Pecado de Quem nos Ama”
Melhor Actriz
Ana Padrão – “Campo de Víboras”
Melhor Actor Secundário
Miguel Cunha – “Zeus”
Melhor Actor
Sinde Filipe – “Zeus”
Prémio Revelação
“Balada do Batráquio” de Leonor Teles
Melhor Documentário
“Eldorado” de Rui Eduardo Abreu
Melhor Animação Recheio
“Estilhaços” de José Miguel Ribeiro
Menção Honrosa – Curta-metragem
“Menina” de Simão Cayatte
Melhor Curta-Metragem Turismo do Centro
“Campo de Víboras” – Cristele Alves Meira
Melhor Longa-Metragem
“Cartas da Guerra” – Ivo M. Ferreira
Grande Prémio do Festival Portugal Sou Eu
“Chatear-me ia morrer tão joveeem…”de Filipe Abranches

 

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

O festival dedicado ao cinema português Caminhos arranca no sábado, em Coimbr