‘True Care’ apresenta a itinerância de James Vincent McMorrow

31 MAIO, 2017 -

A 26 de maio de 2017, James Vincent McMorrow editou o seu quarto álbum, sendo ele “True Care“. O irlandês continua o seu caminho no meio indie folk com algumas variações assinaláveis. O primeiro single partilha o título do álbum e expõe a voz do artista ao ritmo de uma batida que facilmente se encaixaria num género R’n’B.

Este mais recente trabalho conta com quinze faixas, que oscilam entre a fórmula já testada e conhecida pelo artista, e sonoridades eletrónicas e mais ritmadas. É-nos apresentada uma desconstrução do género a que temos sido habituados com os cantautores apelidados de indie. A faixa “Thank You” é exemplo disto mesmo, iniciando com o que se espera guitarra e voz e caminhando numa direção eletrónica. Trata-se de um trabalho arriscado, onde se encontra experimentação à medida que o álbum se vai desenvolvendo. A voz de McMorrow sobre uma bateria em “Constelations” é apreciável, bem como o sintetizador utilizado em “Holding On“.

É difícil não relembrar outros músicos como Bon Iver ao longo do trabalho ao ouvir as composições em tudo semelhantes. Músicas que nos levam a crer que uma determinada direção irá ser tomada, mas que a voz de McMorrow faz questão de orientar noutro sentido, exemplo de “Pink Salt Lake“, onde, inicialmente, acredita-se tratar de música ambiente, para a voz distorcida do músico rapidamente desfazer a ideia. A faixa “Glad It’s Raining” difere do restante álbum, sendo mais rápida e onde é autorizado dançar.

James Vincent McMorrow editou True Care e apresentou-nos novamente o lirismo que já lhe era conhecido agora com roupagens distintas. Contudo é difícil não comparar com quem o fez primeiro e onde McMorrow se parece inspirar – Bon Iver e Keaton Henson podem facilmente ser nomeados. Será um bom álbum para captar novos públicos e, apesar de sólido, não se destaca do que tem sido feito por outros.

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

Os Mountain Goats têm uma carreira que já dura há mais anos que a existência