‘Treblinka’, de Sérgio Tréfaut, é um dos filmes que queremos ver no IndieLisboa

11 ABRIL, 2016 -

Nasceu em São Paulo, para além de brasileiro, é português e francês. Iniciou no cinema em 1992 com a curta-metragem ‘Alcibíades‘ onde trabalhou com Maria de Medeiros. E, rapidamente abandonou a ficção para se dedicar ao documentário e em 2004, 12 anos depois da primeira curta, torna-se director do Doclisboa. Em 2009 realiza ‘A Cidade dos Mortos‘, um documentário sobre a maior necrópole do mundo, em 2011 regressa à ficção e a Maria de Medeiros com ‘Viagem a Portugal‘. No ano de 2014 lança “Alentejo, Alentejo”, uma homenagem ao cante alentejano que valeu o prémio de melhor filme português no IndieLisboa. Agora, em 2016, o mesmo festival recebe, inserido na Competição Nacional, a primeira projecção pública do próximo filme de Sérgio Tréfaut, ‘Treblinka‘.

Desde que venceu o prémio para melhor filme português com ‘Lisboetas‘ no IndieLisboa,em 2004, o cineasta tem sido presença habitual no festival. Este ano não será diferente, ‘Treblinka, não é um documentário, é um filme-ensaio. O mais recente filme de Sérgio Tréfaut conta com Isabel Ruth e Kirill Kashlikov no elenco. A fotografia ficou mais uma vez a cargo de João Ribeiro que já tinha trabalhado com o realizador em ‘Alentejo, Alentejo‘. 

Eu sinto que todos os comboios vão dar a Auschwitz, Dachau e Treblinka” este é o mote narrativo para um filme que mergulha nas memórias de quem resistiu ao extermínio nazi. O medo de viajar de comboio traumatizou quem sobreviveu. Ao invés do último filme do realizador – este não é um retrato – mas sim uma reconstrução, uma reconstituição do pânico e do pavor de quem ficou para poder contar a história.

Treblinka‘ terá duas sessões na Culturgest, a 26 de Abril e 30 de Abril, pelas 21:30 e 17:15 respectivamente.

Texto: João Horta

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

Jazz ecoará no recinto da Culturgest. Contando com a guitarra de André Silva, o