Depois de uma abertura morna com Os Fantasmas de Ismael, de Arnaud Desplechin, fora de concurso, o festival aqueceu com convite ao encantamento por Todd Haynes, em Wonderstruck. Mas foi o desencanto evidenciado em Loveless, do russo Andrey Zvyagintsev que nos conqu

O cinema de Todd Haynes sempre teve queda para viajar no tempo e captar uma certa emoção na deriva. Depois de Poison e Safe, o par de filmes que o afirmou como cineasta indie a não perder, durante os anos 90, Haynes passou a viajar no tempo com um cinema rigoroso, precioso, e fr