Umberto Eco foi um daqueles homens que se pode designar como um polímata, isto é, como alguém é proficiente em mais do que uma área do saber. Se Leonardo da Vinci é o caso paradigmático dessa realidade no que toca à produção das formas, o seu compatriota