É pouco provável que, quando há dois mil e quinhentos anos Ésquilo escreveu as suas tragédias para serem apresentadas nas festas dionisíacas, imaginasse que a milhares de quilómetros de distância e de anos passados as histórias permanecessem vivas e actuantes. É esta a for