Ainda que tendo lançado o seu primeiro full lenght em 2008, é no segundo, In Evening Air, que os Future Islands começam a criar o som que, nos dias que correm, é impossível dissociar da banda: através da articulação baixo-teclas, conseg