Com um discurso lento, ponderado, por vezes contraditório, Rachel Cusk (n.1967) demonstrou muita cautela durante a conversa com a Comunidade Cultura e Arte [CCA], em Matosinhos, durante o "LeV- Literatura em Viagem". O seu instinto de defesa está mais alerta depois de comentários muito agressivos

“A Contraluz” foi o romance com o qual esta escritora venceu três anos de silêncio depois de ser o alvo de uma tempestade mediática após usar a literatura para enfrentar os fantasmas do divórcio. Rachel Cusk sabe os riscos que corre por escrever o tipo de coisas que dep

Festival decorrerá de 12 a 14 de maio e conta, entre os autores convidados, com Hélia Correia, Frederico Lourenço, David Mitchell, Rodrigo Guedes de Carvalho, Rachel Cusk e Jesús Carrasco. Carlos Fiolhais fará a conferência de abertura. “Não há edifício na obra