Uma folha em branco. Ou, ajustando às novas modas, um monitor em branco. Aí está ele/a, convidando-nos para embarcarmos com eles numa jornada de proveito mútuo. Deste lado, proporcionamos uma história. Do outro, dão-nos a oportunidade de a contar. A diferença é que, aqui, a eternizamos. Não

Não existe ninguém que não goste das coisas boas da vida. Contudo, há imensa gente que não gosta das mesmas coisas que outra tanta gente gosta. Todas comungam, no entanto, de um mesmo gosto: o gosto do que lhes dá prazer. Até pelo prazer que o desprazer dá: a superação do faquir, a excita