Arthur Brand, detective especialista em arte, contou que foi contactado pelos próprios assaltantes através de um intermediário, pois “não queriam ser culpados de destruição ou revenda das obras de arte”. Duas pinturas roubadas há sete