O artista português Pantónio participa em fevereiro numa exposição coletiva em Paris, da qual fazem parte, entre outros, o norte-americano Shepard Fairey e o britânico D*Face, foi hoje anunciado. Num comunicado hoje divulgado, a galeria Itinerrance r

“Crónicas de uma Vida Parisiense – uma rubrica sobre a vida na capital francesa, pelos olhos de quem por lá está.” As nossas vidas diferentes fazem-nos ter experiências bem distintas diante da mesma coisa. É frequente existir, nos comboi

“Crónicas de uma Vida Parisiense – uma rubrica sobre a vida na capital francesa, pelos olhos de quem por lá está.” É estranho chegar à cidade onde se vive ao regressar de uma ida a casa. Porque, no fundo, aquilo que estivemos a fazer ao re

Gertrude Stein é um dos nomes incontornáveis entre aquela geração de americanos que decidiu ir viver para Paris no início do séc. XX. Como colecionadora de arte, foi uma das grandes responsáveis, em conjunto com o seu irmão Leo Stein, pela aclamação da arte de vanguarda pr

“Crónicas de uma Vida Parisiense – uma rubrica sobre a vida na capital francesa, pelos olhos de quem por lá está.” Estou sentado no metro, a percorrer a linha 4 para sair em Denfert-Rochereau e apanhar o RER para chegar a casa. À minha fren

“Crónicas de uma Vida Parisiense – uma rubrica sobre a vida na capital francesa, pelos olhos de quem por lá está.” Paris é uma cidade fria. Bem, pelo menos mais fria que Lisboa (de onde até chegam relatos de calor), onde vivia antes de vir

"Crónicas de uma Vida Parisiense - uma rubrica sobre a vida na capital francesa, pelos olhos de quem por lá está." Qualquer que seja a zona de Paris por onde se ande, é com alguma regularidade que se vê grupos de militares de passagem. Sempre em conjuntos de quatro, completamente e

"Crónicas de uma Vida Parisiense - uma rubrica sobre a vida na capital francesa, pelos olhos de quem por lá está." Podes ler aqui a primeira. Praticamente todos os

"Crónicas de uma Vida Parisiense - uma rubrica sobre a vida na capital francesa, pelos olhos de quem por lá está." Há essencialmente duas maneiras de pintar a cidade de Paris: primeiro, como cidade de aparências, do amor e de megalomania louca

A delegação francesa da Fundação Calouste Gulbenkian, em Paris, vai organizar, de 04 de outubro a 18 de dezembro, o Festival da Incerteza, no qual vai mostrar, pela primeira vez ao público francês, a biblioteca particular de Fernando Pessoa.