Qualquer altura do ano é sempre boa para a leitura, embora o Verão traga consigo mais tempo livre dedicado a esta tão proveitosa prática. De acordo com o Dicionário dos Símbolos, de Jean Chevalier e Alain Cheerbrant  (editado pela teorema), a sucessão das estações, assim como das

Guerra Junqueiro foi uma das personalidades mais importantes da literatura portuguesa do século XIX, e do próprio século XX. Figura com grande dinamismo na crítica social e política, foi, como muitos escritores lusos, licenciado em Direito na Universidade de Coimbra, revelando-

Na próxima sexta-feira, dia 30 de junho, decorrerá em Braga, no Theatro Circo, a vigésima segunda edição do Grande Prémio de Literatura dst. O prémio literário é galardoado pelo DST Group, cuja missão é construir projetos empresariais su

Teixeira de Pascoaes foi um saudosista por natureza e pela sua letra. Aquilo que escreveu representou esse estado de espírito, que o transpôs para o atribulando tempo republicano, vivendo-o assim como experienciou também o monárquico e o ditatorial. Atravessando estas três part

Jorge Luis Borges apresentou um mundo à própria literatura. O argentino contemplou-a com um registo que deambula entre a filosofia e a fantasia, não esquecendo o lirismo poético, e o rigor ensaísta académico. A sua grande peculiaridade mora nas diferentes relações estabeleci

Desde o início da década de 1980 na edição, Francisco Vale é hoje o mais destacado editor literário português e somou mais um espetacular triunfo ao conquistar Agustina para o seu catálogo. Depois de resistir ao fenómeno da concentração editorial e crescer durante a crise, aliando

Mia Couto é uma referência no que toca à literatura lusófona. De origem moçambicana, traz as suas origens para grande parte das obras que desenvolve, colmatando num imaginário rendilhado e maravilhado. Maravilhado com as suas terras, os seus rios, os seus mares, e os seus luga

Festival decorrerá de 12 a 14 de maio e conta, entre os autores convidados, com Hélia Correia, Frederico Lourenço, David Mitchell, Rodrigo Guedes de Carvalho, Rachel Cusk e Jesús Carrasco. Carlos Fiolhais fará a conferência de abertura. “Não há edifício na obra

Ao entrar na velhice, Kawabata refletiu sobre ela e sobre a forma como a aproximação da morte faz do desejo um caminho através da memória que conta do princípio ao fim a história da nossa juventude. Um misto de satisfação e cepticismo marcou a forma como a elite cultural

Há uma livraria de bairro no Porto que, se vista de fora parece pacata, na verdade está a arder em silêncio. E tem lenha para queimar o mundo. Uma campainha amarrada à porta da loja diz também ao cliente uma coisa que começa a parecer-lhe estranha: atravessou um risco invis