Os primeiros minutos de “Nobody Knows” de Hirokazu Koreeda estão repletos de ternura, conforto e até um certo tom que não chega a ser cómico, mas que é bastante leve, apesar de ser retratado de forma indirecta. Existe uma clara boa disposição entre a mã