Porque é que o Ocidente demorou tanto tempo a reconhecer a importância e sofisticação do cinema japonês?, perguntou Jonathan Rosenbaum certa altura; o autor apontou como motivo a própria insularidade cultural e geográfica do país, que se acentuou especialmente durante os finais dos anos trin