Ao entrar na velhice, Kawabata refletiu sobre ela e sobre a forma como a aproximação da morte faz do desejo um caminho através da memória que conta do princípio ao fim a história da nossa juventude. Um misto de satisfação e cepticismo marcou a forma como a elite cultural

Se há obra de Haruki Murakami que deve ser obrigatória — e não apenas pelo seu volume, que pode atingir as 600 páginas, pelo seu título cativante, ou até pela capa que desperta curiosidade e que geralmente apresenta um gato, independentemente da sua edição — é, sem dúv

Nos trabalhos cinematográficos disponibilizados há de tudo: contos de fadas orientais e ocidentais, obras de propaganda política e até filmes de informação pública. Um dos filmes disponíveis é

Haruki Murakami possui uma relação íntima com o jazz. A sua literatura reforça muito o elemento musical, tornando-se familiar e associativo em relação aos cenários descritos e onde a ação se desenrola, existindo personagens que também estão agarradas à música como o mot

Documentário sobre a influência de uma arte revolucionária japonesa, Ukiyo-e, nos mais importantes artistas ocidentais do século XIX Há 400 anos, no Japão, uma arte revolucionária nasceria e influenciaria os maiores artistas ocidentais do final do século XIX, o Uk

Há mais no Japão do que apenas o Studio Ghibli (My Neighbour Totoro, Grave of the Fireflies, Princess Mononoke, Spirited Away, Prince

O escritor japonês Haruki Murakami é um dos mais célebres e aclamados autores contemporâneos, sendo o autor de êxitos como "Norwegian Wood" ou "Kafka À Beira-Mar".

A academia sueca distingue o cientista japonês pelas suas pesquisas na área da biologia celular. Yoshinori Ohsumi, 71 anos, foi distinguido esta segunda-feira com o prémio Nobel da Medicina. Professou no Instituto de Tecnologia de Tóquio,

Graças a um financiamento de duas produtoras cinematográficas, a Fabrica de Cine e a SharpSword Films, Martin Scorsese vai ver um sonho antigo realizado. Silence, um filme baseado no livro homónimo do escritor japonês Shu

6 e 9 de agosto de 1945. Datas nunca esquecidas pelo país que assiste ao nascimento do Sol. Na ponta final do conflito internacional mais devastador de todos os tempos, os Estados Unidos da América lançam todo o seu potencial nuclear nas cidades de Hiroshima (6)