image

O cinema de Švankmajer enriquece o real, numa ligação que André Breton, ilustre surrealista francês, poderia descrever com a própria explicação do surrealismo, como “um fio condutor entre os dois mundos distintos do acordado e do adormecido, interior e exterior, razão e loucura”.