image_large

"A verdade é que a única coisa que exigimos dos espetáculos. É que sejam inteligentes, que promovam riso para a cabeça e não para o baixo-ventre", disse José Leitão, o diretor artístico da companhia Art’Imagem, à Lusa, numa outra edição do Festival Internacional de Tea