Podemos ver dezenas, centenas de filmes nos diversos ecrãs de que dispomos. Mas ir ao cinema é outra coisa. Como ir ao teatro, à ópera, a concertos ou a qualquer espetáculo. A sociedade do facilitismo está a destruir simbolismos essenciais que têm a ver com o fruir do tempo