Fernando Pessoa pautou todo o seu registo por uma diversidade incomparável com grande parte dos nomes da cultura europeia. Porém, essa variedade fundamentou-se na necessidade de dar voz e um corpo imaginado a cada uma das visões que possuía sobre o mundo e sobre a existência. Tamanha distinçã

Franz Kafka foi um daqueles que viu mais longe. Não foi dos poucos mas foi um distinto. Tão distinto que até o seu nome virou adjetivo. Tudo aquilo que se liga ao absurdo, ao estapafúrdio, ao insólito, diz respeito ao que Kafka deslindou na sua literatura. Neste caso, parece que não foi o auto