Na filosofia, o pragmatista. Na psicologia, o funcional. Na sua união, a proposta de um novo modelo educacional para os Estados Unidos da América, nação-exemplo para grande parte das restantes do mundo. John Dewey tornou-se numa das principais vozes na defesa de uma sociedade pr

Stevie Ray Vaughan é comumente esquecido quando se alude aos grandes nomes dos blues, principalmente no que abrange os anos 80. Sendo um dos principais responsáveis pela revitalização deste género musical, o guitarrista deu azo a que a expressão deste género musical se tornas

Marlon Brando Jr. nasceu a 3 de abril de 1924 em Omaha, no estado de Nebraska, que se situa nos Estados Unidos da América. Filho de Marlon Brando Sr. e de Dorothy Julia, desde cedo que Brando conquistou a paixão pela representação, escola essa onde estudavam as suas i

Um pouco por todo o mundo, homens e mulheres saíram à rua em protesto pela igualdade de género e pelos direitos das mulheres, um dia depois de Donald Trump ter subido ao poder nos EUA. A marcha, acompanhada pela hashtag #NãoSejasTrump, também teve lugar em Port

A Magnolia Pictures e a Amazon Studios divulgaram um poderoso trailer de 'I Am Not Your Negro', documentário baseado no manuscrito inacabado do romancista, ensaísta, dramaturgo, poeta e crítico James Ba

Os Estados Unidos são o país mais documentado, comentado e analisado do mundo. Mesmo assim não entendemos este país onde tudo pode acontecer, com as surpresas e os factos inesperados a surgirem todas as semanas. Mas o que conhecemos dos Estados Unidos? E podemos falar de um único país? Nos

Donald Trump faz jus ao seu apelido. "Tramp" em inglês ou, num jargão muito nosso, "trampa". Quando todos julgavam que Charlie Chaplin seria o único comediante a envergar um apelido parecido, eis que Trump ascende à presidência da (ainda) mais influente força mundial. No momen

Obra de Bernardo Pires de Lima, investigador do Instituto Português Relações Internacionais da Universidade Nova de Lisboa, “Putinlândia” não é somente uma análise sobre a Rússia de P

A tensão racial nos Estados Unidos aumentou nos últimos meses e uma das pessoas mais importantes e influentes do país resolveu dar a cara e quebrar o silêncio. Numa carta divulgada exclusivamente pela ESPN, Michael Jordan, pediu paz e resolveu doar 2 milhões de dólares

Centenas de pessoas saíram às ruas, na segunda-feira à noite, em grandes cidades norte-americanas, na quinta noite consecutiva de protestos contra a violência policial sobre negros. Uma da