Impetuosidade, fulgurância e um constante deslumbramento são conceitos que marcam a obra de Henry Miller (1891-1980). O autor norte-americano apelou à autenticidade e à genuinidade da produção literária e criticou quem falhou a estes princípios, atribuindo-lhes um outro esta