Charles Manson inscreveu-se na realidade e no imaginário norte-americano com o sangue das suas vítimas. Os assassinatos de Sharon Tate, grávida de oito meses, e seus amigos foram os mais impactantes e brutais. Mas antes outras vítimas foram feitas. Sem facadas nem tiros. A primeira destrui

1969 e a Califórnia. Com este mote, somos redirecionados imediatamente para uma ode à liberdade e à libertação, ecos de um tempo de autodescoberta, de emancipação e de sensualidade. Contudo, Emma Cline, em As Raparigas (