O livro de Helen Rappaport não é, certamente, único e, por certo, não será o último de uma lista, sem surpresa, longa. Mas  traz algo mais à enorme torrente de bibliografia sobre as revoluções de 1917 de Fevereiro e Outubro. Para se perceber de que forma o estudo desta historiadora pode tr