anna-karina-vivre-sa-vie-jean-luc-godard-fr-1962

Injusto seria dar um título a esta notícia que não apenas o seu nome: Godard. Godard personifica algo maior que ele próprio. É causa e efeito. Recentemente, e em entrevista ao The New York Times, a artista

annakarina

Hoje em dia, Jean-Luc Godard é tido como um dos poucos homens vivos que reinventou o cinema. Na década de 1960, cada novo filme do realizador francês era mais do que uma estreia, era um evento, e ele tornou-se num de vários realizadores elevados ao patamar de génio, conseguindo