Se penso na solidão, sofro. Se penso no esquecimento, lembro-me do que sou

6 JULHO, 2016 -

Aprendi isso quando li o livro – FOCO, de Daniel Goleman

se eu penso no meu coração, ele bate.
se eu penso na minha solidão, eu sofro. Se penso no meu esquecimento, eu lembro-me constantemente do que sou.
Dentro do nosso cérebro temos uma região chamada ínsula (lobo da ínsula) que é responsável pela coordenação das nossas emoções. Quando temos uma actividade de foco orientada para dentro de nós, aumentamos a consciência de nós mesmos e tornamos a ínsula mais activa; e estimulamos processos neuronais de baixo para cima no cérebro.
OU SEJA: criamos empatia espontânea como o outro.
E É ISSO QUE ESTÁ NA BASE
temos tido comportamentos empáticos e não empáticos com o terrorismo mundial. Recentemente foi a Turquia e o Iraque. Mais de 300 pessoas já morreram. E não se criou uma empatia social à semelhança dos ataques em Paris ou na Bélgica.
E PORQUÊ?
porque a nossa ínsula emocional está em modo «piloto automático». Sofro com a proximidade, tenho parentes e amigos em França e na Bélgica. Mas não conheço ninguém na Turquia ou no Iraque. LOGO: a minha ínsula não reage e nem eu quero me esforçar para a desenvolver nesse sentido.
Não tenho relação emocional espontânea com o ser-humano LONGE de mim.
e a culpa é da,
– Ínsula.

PL_FOCO

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

Tenho visto gente de grande gabarito a enquadrar o trabalho de Bob Dylan na chamada tese da Literat

TUDO VAI MUDAR (AMANHÃ) entre a segunda metade do séc. XVIII e a segunda metade do séc. XX ac

olhar é conhecer. E fotografar é mais do que conhecer; é sentir com os olhos. Algo não revelado

uma das dinâmica tecnológicas que suporta a Quarta Revolução Industrial (QRI) chama-se, - a In