Samuel L. Jackson critica projectos sem personagens negras e filmes de ‘caça ao Óscar’

14 DEZEMBRO, 2016 -

Estamos em Dezembro e está a começar a temporada das nomeações e prémios cinematográficos nos Estados Unidos e, como acontece todos os anos, os críticos, produtores e fãs debatem sobre os filmes, actores ou realizadores que merecem receber uma estatueta dourada.

O actor Samuel L. Jackson não é excepção e decidiu criticar o sistema de Hollywood. Numa entrevista, durante um festival de cinema no Dubai, Jackson referiu que há dois filmes que são favoritos aos Óscares: ‘Manchester by the Sea‘, realizado e escrito por Kenneth Lonergan, e ‘Moonlight‘, realizado por Barry Jenkins. Para além de Samuel L. Jackson revelar estes dois nomes o actor decidiu explicar, na sua opinião, a grande diferença entre as duas obras cinematográficas: ‘Manchester by the Sea‘ tem um elenco de actores brancos e ‘Moonlight‘ tem um elenco de actores negros.

A política que acontece nesta época do ano é muito interessante em Hollywood. Eles escolhem filmes para dizer que são incríveis e óptimos – como ‘Manchester by the Sea’, que dizem ser maravilhoso, imperdível! Talvez seja… para alguém. Mas não é um filme inclusivo, entendes? Tenho a certeza de que ‘Moonlight’ será visto da mesma maneira. Vão dizer que é um filme de negros. “Onde estão as pessoas brancas?”. Mas eu pergunto a mesma coisa sobre ‘Manchester by the Sea’“.

Para além desta questão racial, Samuel L. Jackson criticou ainda os filmes cheios de boas intenções, que supostamente chamam mais atenção para o júri dos Óscares: “Existem filmes de ‘caça ao Óscar’. Eu estava a ver o trailer do filme de Will Smith [‘Collateral Beauty’] e pensei: ‘A sério?’. É mais um filme do tipo ‘Oh meu Deus, a vida é tão bela, vamos parar e cheirar as rosas’.

Por fim, tanto ‘Manchester by the Sea‘ como ‘Moonlight‘ têm argumentos que podem despertar uma boa reflexão. No entanto, o primeiro, só com com actores brancos, é visto como “filmes normais” e o segundo, apenas com actores negros, é considerado um produto de nicho e diz respeito ao racismo e à exclusão em Hollywood. Ou seja, Hollywood sugere a questão de que todos os filmes deveriam conter uma pluralidade de raças, assim como a sociedade.

Samuel L. Jackson já esteve nomeado para os Óscares pela sua personagem Jules Winnfield, em ‘Pulp Fiction‘ (1994). O actor está neste momento envolvido em 7 filmes até 2018.

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

Janeiro e Fevereiro é, por norma, a época com os filmes mais importantes em sala, muito por culpa

A duas semanas das nomeações dos Globos de Ouro serem anunciadas foram revelados

Manchester By The Sea chega às salas de cin