RTP2 faz verdadeiro serviço público com 6 filmes nos próximos dias

27 MARÇO, 2017 -

O verdadeiro serviço público faz-se na RTP, quase todas as semanas, quando não acontece mesmo em todas. Sendo assim, e porque faz todo o sentido darmos destaque aos filmes e aos assuntos que estes abordam, elaboramos este artigo para reforçar e dar visibilidade ao trabalho feito pela estação pública portuguesa. De 31 de Março, próxima sexta-feira, a 8 de Abril, ou seja, em 9 dias há 6 filmes para vários gostos:

Cafés Littéraires et Cafés d´Artistes, um documentário sobre cafés que foram verdadeiros viveiros para movimentos artísticos;
Non ou a Vã Glória de Mandar e O Dia do Desespero, o primeiro sobre as catástrofes militares de Portugal e o segundo sobre os últimos anos de vida de Camilo Castelo Branco;
MLK: The Assassination Tapes, um documentário sobre Martin Luther King;
Viva a Liberdade, uma paródia ao sistema político italiano que questiona os contextos de crise;
Hot Summer in Marienbad, um filme que retrata o fatídico encontro entre Johann Wolfgang Goethe, o grande poeta alemão, e a jovem Ulrike von Levetzow no spa de Marienbad no início do século XIX.

Fica aqui o programa e as respectivas sinopses dos filmes:

31 de Março, 02h05
Filme: Cafés Littéraires et Cafés d’Artistes
Realizado por: Dominik Rimbault

Documentário sobre cafés literários e de artistas que foram verdadeiros viveiros para movimentos artísticos e literários

Durante três séculos, os cafés foram lugares de inspiração, de insurreição e troca essencial para pintores, poetas, escritores e políticos. Movimentos artísticos e literários são criados em cafés até quase aos nossos dias. Houve nestes cafés uma atmosfera especial. Em 1686, o nobre italiano Francesco Procopio estabelece o seu café, na Rue de l´Ancienne Comédie em Paris: Le Procope, que se tornou o primeiro café literário no mundo. Frequentado por Robespierre, Danton, e mais tarde por G. Sand, Litz, Verlaine … Em Paris, Montmartre tem sido um viveiro de inspiração para a boémia. Poetas e artistas frequentam os cafés.

1 de Abril, 23h15
Filme: Non ou a Vã Glória de Mandar
Realizado por: Manoel de Oliveira

Manoel de Oliveira a passar em revista histórica as maiores catástrofes militares de Portugal.

Em África, nos finais da guerra colonial portuguesa, um grupo de soldados avança pelo mato. Falam da guerra e da missão histórica do homem em combate. Entre eles encontra-se o alferes Cabrita, licenciado em História, que vai percorrer outras memórias de guerra onde Portugal teve de enfrentar os ventos da derrota e da tragédia. De Viriato e da luta de resistência ao domínio romano até ao inevitável desastre africano, de que o alferes Cabrita será uma das últimas vítimas, Portugal enfrentou terríveis e devastadoras derrotas militares ao longo da sua História.

Estreado mundialmente no Festival de Cannes em 1990, onde Manoel de Oliveira foi igualmente homenageado, Non ou a Vã Glória de Mandar é, até à data, o filme mais ambicioso e de maior envergadura de toda a sua carreira. Trata-se de uma pessoal e fascinante viagem pela nossa memória histórica que começa e acaba na Guerra Colonial, passando por uma série de momentos igualmente desastrosos, sobretudo militares, como a resistência de Viriato aos romanos ou o delírio de Alcácer Quibir. Para além da sua aparente dimensão didáctica, Non ou a Vã Glória de Mandar é, acima de tudo, uma obra concebida e criada como uma épica ironia histórica, em que se glorifica e presta homenagem ao espírito de um povo através das suas maiores e mais trágicas derrotas e catástrofes. Oliveira, mais uma vez, a reafirmar o seu gosto visionário num filme que recusa, ostensiva e frontalmente, a estrutura de espectáculo popular para se assumir da primeira à última imagem como uma obra enigmática, alegórica e metafórica sobre as desgraças que em Portugal foram, através de uma das mais alucinantes conjugações de memórias, mitologias e evocações colectivas alguma vez recriadas em cinema.

3 de Abril, 23h30
Filme: Hot Summer in Marienbad
Realizado por: Milan Cieslar

Filme de Milan Cieslar sobre o fatídico encontro entre Johann Wolfgang Goethe, o grande poeta alemão, e a jovem Ulrike von Levetzow no spa de Marienbad no início do século XIX

Goethe era um aristocrata da alma, um ministro de estado, um conselheiro da corte, um cavalheiro de posição social elevada e as mulheres tiveram um papel importante na sua vida. Ele simplesmente não conseguia viver sem o estado emocional do amor ou a busca pelo amor. Ele tinha 72 anos no ano em que conheceu Ulrike, de dezassete anos, em Marienbad, e as emoções apaixonadas que surgiram entre eles só provam que, no que diz respeito ao amor, a idade não importa. Apesar de ninguém saber até hoje o que realmente aconteceu entre Goethe e Ulrike, durante duzentos anos este casal foi aceite como o símbolo de um velho se apaixonar por uma menina.

5 de Abril, 23h
Filme: MLK: The Assassination Tapes

Documentário premiado em vários festivais sobre o assassinato de Martin Luther King

4 de Abril de 1968. Martin Luther King é morto a tiro na varanda de um hotel em Memphis, Tennessee. Foi tudo capturado em filme, fita e áudio. Então, por que vimos tão pouco? A famosa fotografia dos assessores de Martin Luther King apontando para a direcção dos tiros é icónica, mas diz apenas parte da história. Pela primeira vez, uma colecção notável de imagens recentemente redescobertas foi reorganizada cronologicamente. Este documentário permite-nos revisitar os eventos tumultuosos em torno de um dos assassinatos mais chocantes na América e reviver a história através das vozes da época.

7 de Abril, 23h05
Filme: Viva a Liberdade
Realizado por: Roberto Andò

Um filme dirigido por Roberto Andò, que parodia o sistema político italiano e questiona os contextos de crise

Em Itália, as eleições aproximam-se. As sondagens revelam resultados pouco animadores para o secretário-geral do partido da oposição, Enrico Oliveri. Depois de um debate, ele desaparece sem deixar rasto. A sua comitiva e a sua mulher tentam encontrá-lo, mas é preciso fazer alguma coisa enquanto não o conseguem. Felizmente, Enrico tem um irmão gémeo, Giovanni. Infelizmente, ele acaba de sair do manicómio. Mas não há alternativa senão pô-lo no lugar do secretário e torcer para que ninguém perceba que ele está diferente. Esta tarefa é que se revela mais difícil. “Optimismo ao Poder” passam a ser as palavras de ordem. A poesia entra na política. A proximidade com as pessoas aumenta. Mas a grande surpresa é esta: o discurso do político, (supostamente um louco) nunca foi tão lúcido, relevante e acutilante.

Um filme dirigido por Roberto Andò, que parodia o sistema político italiano e questiona os contextos de crise. Andò também co-escreveu (em parceria com Angelo Pasquini) o argumento, que foi premiado pelo Sindicato Nacional Italiano dos Jornalistas de Cinema. O protagonismo está entregue a Toni Servillo, que interpreta os dois irmãos gémeos, contracenando com atores como Valerio Mastandrea (o assessor) ou Valeria Bruni Tedeschi (a mulher).

8 de Abril, 23h25
Filme: O Dia do Desespero
Realizado por: Manoel de Oliveira

Manoel de Oliveira retrata os últimos anos de vida de Camilo Castelo Branco, um dos grandes escritores portugueses do século XIX

Manoel de Oliveira aproxima-se aqui dos últimos anos de vida de Camilo Castelo Branco, a partir de cartas do escritor, refletindo os seus conflitos e dramas e a relação atormentada com Ana Plácido. Um dos filmes mais austeros de Oliveira, inteiramente filmado na casa de Camilo em São Miguel de Seide. Actores e retratos de actores; quadros e retratos de quadros; a imagem “in” e a imagem “off”. O que é que quer dizer representar? Por que é que o cinema e a pintura são artes tão diferentes?

É de relembrar que os horários dos filmes costumam sofrer pequenas alterações, tentaremos colmatar essas mudanças actualizando este artigo.

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

Com argumento e realização de Thomas Vinterberg, um filme dramático cuja forte prestaç

Nomeado à Palma de Ouro no Festival de Cannes e premiado com o

O verdadeiro serviço público faz-se na RTP! Sendo assim, e porque faz todo o sentido darmos desta

No próximo Domingo, dia 8 de Janeiro, pelas 22h35, estreia na