Relógio D’Água vai publicar a obra de Agustina Bessa-Luís e este ano já há livro inédito

28 ABRIL, 2017 -

A editora Relógio D’Água vai publicar a obra de Agustina Bessa-Luís, uma das mais vastas e importantes da nossa literatura.

É assim que ao longo dos próximos anos serão publicados os seus romances, peças de teatro, contos infantis e ensaios biográficos, muitos deles esgotados ou fora do alcance dos leitores.

Ainda este ano serão editados dez títulos, a saber: A Sibila, Fanny Owen, As Pessoas Felizes, O Manto, Ternos Guerreiros, O Mosteiro, Os Meninos de Ouro, Vale Abraão, Dentes de Rato e um livro inédito. Todos estes dez títulos terão prefácios de escritores e ensaístas, alguns deles pertencentes a uma nova geração de autores.
Está a ser projectada, no âmbito da comemoração dos 95 anos da autora, a celebrar em Outubro, uma exposição de fotografias de António Barreto sobre o Douro, complementada com um painel específico sobre aspectos do Douro tal como surgem na obra de Agustina.
A editora irá ainda desenvolver iniciativas para a exposição de filmes de Manoel de Oliveira e de João Botelho que resultaram da adaptação de textos de Agustina e para a encenação de algumas das suas obras teatrais, que serão reunidas em volume único.

Em comunicado, a Relógio D’Água agradece a confiança da família de Agustina Bessa-Luís, em particular do seu marido e representante, Alberto Luís, e da sua filha, Mónica Baldaque.
Antecipadamente agradece também a colaboração que certamente vai ter do Círculo Literário Agustina Bessa-Luís e da neta da autora, Lourença Baldaque, que, com Alberto Luís, será responsável pela fixação do texto dos livros a publicar, e que vão colocar de novo a obra de Agustina ao alcance dos seus leitores, os de sempre e os das novas gerações.

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

O romance 'Fredo', de Ricardo Fonseca da Mota

Os textos que a escritora Agustina Bessa-Luís publicou na comunicação social ao longo de mais de

Carla Pais, vencedora do Prémio Literário Revelaçã

Desde o início da década de 1980 na edição, Francisco Vale é hoje o mais destacado edi