Quando nos trocam as voltas com os enquadramentos

12 ABRIL, 2016 -

Toda a gente sabe, ou quase todos, que as regras existem para serem quebradas e quem as desafia corre um sério risco de ter uma obra mais duradoura, nem que seja só por esse detalhe técnico. E por isto mesmo hoje trazemos-te um vídeo com vários excertos de filmes que fizeram uso de técnicas de enquadramento não muito convencionais.
Alguns exemplos mencionados no vídeo foram o criticado Oz the Great and Powerful (2013), de Sam RaimiTom à la ferme (2013), Mommy (2014), ambos filmes do canadiano Xavier Dolan, The Grand Budapest Hotel (2014), de Wes Anderson ou o vencedor do Óscar de Melhor Filme estrangeiro Ida (2013), de Pawel Pawlikowski.
Por fim, como o narrador explica a dada altura do vídeo: as técnicas de enquadramento não mudaram muito ao longo dos anos desde o início do cinema. Por isso, e se não fores um consumidor de cinema antigo, vais provavelmente achar, depois desta afirmação, que os filmes que viste e que são mais recentes não são assim tão originais quanto isso, pelo menos no que toca aos enquadramentos.

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

Jean-Luc Godard estará de regresso ao grande ecrã com "Image et Parole

Wes Anderson é um dos cineastas mais célebres do presente século. Desde 1996, f

Já dizia Voltaire: “nascemos sozinhos, vivemos sozinhos e morremos sozinhos. Somente atr

Celebraria, hoje, 80 anos um dos maiores escritores da contracultura americana, célebre por ser o