Pedro Mexia, Daniel Jonas e Maria Fernandes no Festival Literário da Madeira

31 JANEIRO, 2017 -

A organização do 7.º Festival Literário da Madeira (FLM), que decorre de 14 a 19 de março no Teatro Municipal Baltazar Dias, no Funchal, confirmou hoje a participação dos autores Pedro Mexia, Daniel Jonas e Maria Fernandes.

Estes autores vêm juntar-se à lista de presenças confirmadas, da qual consta a Prémio Nobel da Literatura de 2015, Svetlana Alexievich, que vai estar presente na sessão de abertura do festival.

Valter Hugo Mãe, os angolanos Pepetela e Ondjaki e o brasileiro Marcelino Freire, Prémio Jabuti e Prémio Machado de Assis da Fundação Biblioteca Nacional para Melhor Romance, são outros anunciados anunciados para o festival.

O poeta Daniel Jonas, Grande Prémio de Poesia da Associação Portuguesa de Escritores com “Nó” (2014), é autor de “Os Fantasmas Inquilinos”, “Sonótono” (prémio PEN de poesia), “Passageiro Frequente” (nomeado para o prémio de Poeta Europeu da Liberdade pela cidade de Gdansk).

Distinguido com o prémio Europa David Mourão-Ferreira, da Universidade de Bari/Aldo Moro (2012), Jonas distinguiu-se também como tradutor de, entre outros, John Milton, Evelyn Waugh, Luigi Pirandello, J-K Huysmans, W.H. Auden, Charles Dickens, Henry James e William Shakespeare (“O Mercador de Veneza”, “Como Queiram”, “Macbeth”).

“Bisonte” e “Canícula” são os seus dois últimos livros de originais.

Pedro Mexia, membro do “Governo Sombra”, da TSF e TVI, publicou vários livros de poesia, coligidos em “Menos por Menos”, seguido de “Uma Vez Que Tudo se Perdeu”, a par de vários volumes de diários e de crónicas, entre os quais “Malparado”, a sair em março de 2017.

Coordena a coleção de poesia da editora Tinta-da-China, fez parte do júri do Prémio Camões, em 2015 e 2016, e é conselheiro para a Cultura do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

A autora Maria Fernandes, do Funchal, mantém o blogue de poesia Ventos Obtusos e colabora na edição digital da revista Umbigo.

Publicada em diversas antologias poéticas, lançou “Contemplações, Constatações e 30 Ventos”, em edição de autor, e tem no prelo a obra “Do Not Feed the Poets”.

A jornalista e escritora bielorrussa Svetlana Aleksievitch foi distinguida em 2015 com o Nobel da Literatura pela escrita “polifónica, um monumento ao sofrimento e à coragem no nosso tempo”, anunciou, na altura, a Academia Sueca.

Da autora, foi publicado em Portugal “O fim do homem soviético — um tempo de desencanto”, pela Porto Editora, tendo o livro “A guerra não tem rosto de mulher” chegado às livrarias portuguesas em setembro do ano passado, publicado pela Elsinore, que já havia lançado “Vozes de Chernobyl”.

No programa do festival está ainda previsto o concerto de Teresa Salgueiro “Horizonte”, no dia 17 de março, no Teatro do Funchal.

O FLM decorre este ano sob o tema “Literatura e a Web — entre o medo e a liberdade”, sendo organizado pela Eventos Culturais do Atlântico (ECA).

O programa do FLM é composto por uma semana de encontros, debates, concertos, sessões de autógrafos, incluindo também momentos de divulgação da ilha.

Eduardo Lourenço, Alberto Manguel, Helder Macedo, Naomi Wolf, Gonçalo M. Tavares, Mia Couto, Samar Yazbek, Lídia Jorge e o recentemente falecido Zygmunt Bauman foram autores que passaram pelo festival em edições anteriores.

Texto de Lusa

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS