Os filmes de Quentin Tarantino interligam-se, este vídeo comprova isso mesmo

24 OUTUBRO, 2016 -

Quentin Tarantino é, além de um dos maiores cineastas dos nossos tempos, uma mente brilhante. Sangrentos, divertidos, provocantes, loucos e mordazes, os seus filmes estão repletos de razões únicas pelas quais os revisitamos tantas vezes. É essa singularidade que lhe permitirá também perpetuar-se na história da 7ª arte. O realizador norte-americano junta à sua criativa e cativante capacidade de escrita, uma habilidade quase ímpar para a criação de personagens icónicas, exultadas e relembradas em posters, graffitis perdidos por aí, vídeos de fãs ou simplesmente nas capas dos nossos DVD’s.

No novo vídeo-ensaio de Luís Azevedo para a sua página Beyond the Frame, são apontadas as ligações presentes nos filmes de Tarantino. Dos irmãos Vega à família Mcgraw ou Scagnetti, os diferentes filmes do realizador interligam-se das mais variadas maneiras. Através de subtis referências descobrimos os laços, familiares ou não, que criam até aos dias de hoje um Universo cinematográfico rico e único, inventado pelo realizador.

Mas Tarantino vai mais longe do que simples e meros laços familiares para criar esta ligação entre os seus filmes. Prova disso é por exemplo o Big Kahuna Burguer, uma cadeia de fast food Havaiana referida em vários filmes seus como Pulp Fiction, Reservoir Dogs, Four Rooms e Death Proof.

Mas não só. Também os famosos cigarros Red Apple, uma marca de “eleição” para os personagens dos filmes de Tarantino, são um desses “pormenores” quase omnipresentes nos filmes do realizador, assim como a inesquecível rádio K-Billy, ouvida tantas vezes por parte dos personagens nas suas obras.

É esta partilha entre os filmes que é procurada vídeo-ensaio que vos mostramos. A união deste Tarantino’s Cinematic Universe, como é intitulado este vídeo-ensaio que cria, através de todos os pormenores e ligações supra referidas, uma coexistência entre os personagens das várias obras do realizador.

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

De rosto jovial e transparecendo um vanguardismo quase inédito na cultura portuguesa, Mari

Mais de vinte anos depois de estrear em Cannes, onde venceu a Palma de Ouro, a 12 maio de 1994,