Os espelhos e o choque da realidade cinematográfica de Ingmar Bergman

24 MAIO, 2016 -

O interior do Homem é um mundo a descobrir e Ingmar Bergman foi um dos melhores realizadores no que diz respeito ao confronto entre o Homem e a descoberta de si mesmo. O cineasta filmou os encontros e os desencontros entre as pessoas e a obscura solidão de cada um, tornando-as compreensíveis e naturais. É através das viagens constantes a esse mundo desconhecido que Bergman leva o espectador ao confronto mais íntimo.

Neste ensaio para a Criterion Collection, o talentoso coreano :: kogonada – que já se debruçou, entre outros, sobre Wes Anderson – confronta-nos com a obsessão de Ingmar Bergman pela figura feminina e a possibilidade de descobrir a verdade através dos espelhos. O realizador sueco explora os rostos e corpos femininos reflectidos no espelho para falar da alma e do interior da Mulher. A Mulher que funciona também como a transição da reflexão do espectador consigo mesmo, bem como a representação do primeiro choque com a realidade, no momento em que nascemos.

Numa época em que sentimos que as palavras são inúteis, reencontramo-nos na sinceridade dos silêncios e na profundidade das personagens de Bergman. A clarificação deste naturalismo, ilustrado em frente ao espelho, talvez seja o que melhor consegue :: kogonada neste ensaio sobre a obra do Mestre Bergman.

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS