Oioai reinam no primeiro dia do Mêda+

29 JULHO, 2016 -

A noite quente de ontem recebeu de forma perfeita as primeiras bandas do festival Mêda+ e coube aos Flying Cages abrir o palco principal. Já tínhamos visto esta banda de Coimbra no Sofar Sounds Lisbon, dessa feita em acústico, e estávamos bastante curiosos para saber de que forma a banda se comportava no seu registo habitual. A ideia que tínhamos da banda manteve-se, temas bem construídos e bem interpretados. A voz é muito idêntica à de Alex Turner dos Arctic Monkeys e esse será talvez o ponto que nos distrai dos sons próprios de Flying Cages. Embora sejamos admiradores confessos de Arctic Monkeys, as semelhanças na voz, mas principalmente na postura, distraem-nos e fazem-nos querer que a banda procure um registo próprio que a distinga, até porque os Flying Cages têm potencial para isso. Se dúvidas houver, ouça-se o álbum da banda Lalochezia.

Os Oioai subiram depois ao palco para aquela que, na nossa opinião, foi a actuação da noite. A tocar juntos pela primeira vez em muitos anos, os Oioai são mais um bom exemplo que as músicas cantadas em português não têm de ter rimas fáceis ou forçadas. Com mais público do que os Flying Cages tiveram, o reencontro dos Oioai com os palcos foi um belo momento de música, vincado pelo impressionante baterista João Pinheiro (Diabo na Cruz) e pela cumplicidade da banda. Depois de apresentarem alguns temas novos, os Oioai foram a única banda a fazer encore. Estando em preparação de um novo trabalho, é altamente provável que os vejamos futuramente por aí. Esta passagem pelo Mêda+ foi, sem dúvida alguma, um bom regresso.

Não há grande coisa a acrescentar às actuações de Paus. A bateria gémea, o baixo e as teclas, os Paus cativaram o público desde o primeiro momento. Focando-se principalmente no último álbum da banda, Mitra, o concerto foi menos agressivo, mas não menos pujante, do que o último que quem vos escreve viu. Com um grupo de fãs acérrimos nas grades, a banda de Hélio Morais, Joaquim Albergaria, Makoto e Fábio Jevelim revelou porque é uma das grandes referências no contexto da música portuguesa atual.

A noite terminou com um dj set de A boy named Sue.

Esta noite teremos no palco principal Granada, Lemon Lovers e Salto. Caso estejam por perto, não percam. A entrada é livre.

Aviso: Não há Pokémon para apanhar em Mêda. Também não estamos contentes com isso.

DSCF6103 (2)

1

3

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS