O que é ser-se culto?

30 SETEMBRO, 2016 -

O que é isso de se ser culto? É ler os melhores livros, conhecer os melhores álbuns, apreciar e recordar as melhores pinturas e esculturas e saber identificar os mais imponentes monumentos de todas as cidades cosmopolitas? Será assim tão redutora a definição de alguém culto? Não será algo mais? É, é algo que transcende qualquer definição térrea e que se delimite a recontar a nossa história. Na verdadeira aceção da expressão, um ser culto é alguém que tem cultura. O que é a cultura? A tal questão que a muitos apoquenta e que a tantas definições origina.

Quando falamos disto de cultura, falamos das grandes obras de arte ou das formas mais ou menos padronizadas de comportamentos, valores e costume de uma comunidade? No fundo, e no papel de agentes conhecedores e produtores de elementos animados e inanimados, não há ninguém que não seja culto. Toda a gente traz no seu código genético práticas e dotes que vêm aperfeiçoando e demonstrando tudo isso ao mundo, desnudando a sua utilidade e a sua pertinência no seio da comunidade. Não só como via de apreciação e/ou de inspiração mas sim como método de catapultar para o dia-a-dia estas formas de se fazer arte. As obras mais conotadas daquilo que é arte acabam por restringir aqueles que também são cultos?

No entanto, a cultura vai mais longe! Começa nos mais longínquos antepassados e nas suas lides mais primitivas. Todos temos cultura em nós. Todos somos seres cultos. Não é por termos as melhores experiências, as melhores passagens e as melhores vistas e amplitudes artísticas que somos mais ou menos cultos. Somos cultos quando nos entrosamos, quando compreendemos o próximo e quando dialogamos com este, trocando impressões e sensações. Ser-se culto é o nosso destino por estarmos inevitavelmente ligados a pelo menos uma cultura.

Há quem vá mais longe e, aproveitando o bichinho da sua curiosidade, se entregue à viagem por outras tantas, louvando o ser culto do outro lado do mundo. Desmistificamos isto de ser-se culto. A própria natureza traduz aquilo que uma região é. É desta forma que somos nós que traduzimos aquilo que uma cultura em particular é. Somos cultos na medida em que construímos e damos a construir cultura, esta assente na arte do jeito e do gosto. Somos cultos num jeito muito particular, brincando com as palavras e com as tradições. Somos cultos enquanto damos e entregamos a um mundo que é de todos e do qual a arte é a mais profunda parte.

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

No antigo Museu da Electricidade, e agora Museu de Arte,

Arthur Brand, detective especialista em arte, contou que foi conta

Quase no fim do conturbado século XIX, nasce Gustav Klimt

Quando a arte se une à moda, o resultado é este. Peças pintadas a óleo por Ricardo Cavo