Novo filme de Nicolas Winding Refn vaiado em Cannes

20 MAIO, 2016 -




Ao que parece o público ficou desiludido com o novo trabalho de Nicolas Winding Refn

Já em 2013, o realizador chegava a Cannes com a glória e sucesso do seu filme anterior, o premiado Drive. No entanto, o implacável público vaiou intensamente Only God Forgives. Agora, três anos depois Refn volta a Cannes com The Neon Demon e mais uma vez o público não gosta do seu novo trabalho.

O argumento de The Neon Demon teve a mão de Refn e é inspirado na vida da Erzebet Bathory, uma Condessa húngara da Europa de Leste do século XVII. Segundo consta, Bathory para travar o seu envelhecimento começou a tomar banhos com o sangue de virgens, e no filme seguimos Elle Fanning, uma aspirante a modelo que se muda para Los Angeles, local onde a sua juventude e vitalidade serão “devoradas” por um grupo de mulheres obcecadas e que vão fazer tudo para conseguirem o que a jovem tem.

neon-demon

Visualmente há parecenças entre Only God Forgives e The Neon Demon. A estética é a imagem de marca dos filmes de Refn e ao que parece, pela imprensa especializada, a estética do seu novo filme pôs de parte a história. E, ao que tudo indica o ritmo lento e a quase inexistência de diálogos manteve-se, sendo fortemente criticados.

Mas, também se pode ver tudo de um ponto de vista oposto se pensarmos que o realizador dinamarquês demonstra cada vez menos interesse na história e cada vez mais interesse em construir belos e estilizados cenários, tornando-os tão vazios quanto o universo que critica. Os diálogos pausados e quase inexistentes, tão característicos dos filmes de Refn, podem muito bem ser a metáfora do universo que quis criticar: o vazio existente no mundo da moda.

Só nos resta esperar pelo filme nos cinemas portugueses (que ainda não tem data) para tecermos opiniões.

É de tomar em conta ainda que a actriz Elle Fanning foi a escolha acertada, pelo menos é essa a opinião da crítica. Sem qualquer experiência prévia neste universo. A ingenuidade e beleza de Fanning e o mundo hostil da moda criaram a combinação perfeita.

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

A primeira exibição do novo filme de Juste la Fin du Monde esteve a a

Prestes a entrar no Festival Internacional de Cinema de Cannes, Michael Ha

Se há algo a louvar no cinema do grego Yorgos Lanthimos é a sua incessante necessidade de descons

O novo filme da realizadora inglesa Andrea Arnold conquistou a crítica e o júri