#NãoSejasTrump, a marcha anti-Trump

21 JANEIRO, 2017 -

Um pouco por todo o mundo, homens e mulheres saíram à rua em protesto pela igualdade de género e pelos direitos das mulheres, um dia depois de Donald Trump ter subido ao poder nos EUA. A marcha, acompanhada pela hashtag #NãoSejasTrump, também teve lugar em Portugal: Porto, Lisboa, Braga e Coimbra deram voz ao movimento.

No centro de Washington mais de 200 mil pessoas fizeram-se ouvir com gorros rosa e placas de protesto contra o recém-eleito presidente norte-americano, onde se pediu respeito pelas mulheres, imigrantes, muçulmanos, homossexuais, deficientes físicos e por demais minorias. Cartazes com frases como “Alguém viu a minha máquina do tempo?”, “Meu corpo, minha decisão” ou “Lute como uma rapariga”, estavam espalhados por todo o lado.

A Marcha das Mulheres enviará uma mensagem clara ao mundo e ao nosso novo governo em seu primeiro dia no cargo de que os direitos das mulheres são direitos humanos”, revelaram os organizadores.

Donald Trump é visto por muitos como figura polémica, com discursos que, desde a campanha eleitoral, têm reduzido o papel da mulher na sociedade e a sua capacidade intelectual para assumir posições de poder.

Artigo de: Liliana Pedro

Foto: Washington Reuters/SHANNON STAPLETON

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

1800 candidataram-se para participar no projecto, no entanto o artista S

30 Days, 30 Songs é um site independente que irá lançar uma música por dia, de

Este é um daqueles casos em que não se percebe se a realidade acompanha a ficção ou se é a fic

Hillary Clinton é a favorita em Hollywood  para a presidência dos EUA, no entan