Milhões de Festa: a música está de volta às margens do rio Cávado #1

23 MAIO, 2017 -

Estamos ainda a dois meses do arranque da nova edição do Milhões de Festa e já paira no ar o entusiasmo de sempre no que concerne este festival.  Podemos atribuir este dito entusiasmo aos nomes que têm vindo a ser anunciados e aliciam cada vez mais o público a um festival que, a cada ano, se assume como um dos melhores festivais de verão em Portugal. Com o cartaz ainda a compor-se, todavia já com nomes de luxo, o Milhões de Festa convida desde já marcar na agenda uma viagem a Barcelos, em meados do mês de Julho, brindando com boa música e com um recinto que certamente não deixará ninguém indiferente.

Talvez o nome mais sonante já confirmado no cartaz deste ano sejam os suecos Graveyard, que já tocaram no Milhões de Festa no ano de 2011 e estão agora de regresso. Depois de, em Setembro de 2016, terem anunciado a separação da banda, os suecos voltam agora em força e vêm provar que o concerto de 2011 não foi lendário por um mero acaso. Donos e senhores de um stoner rock a lembrar os anos 60 e 70 voltam a Barcelos com a sua música capaz de nos fazer viajar no tempo.

Seguem-se faUSt & GNOD. Os faUSt chegam da Alemanha com uma harmoniosa mistura do seu krautrock e de uma sublime experimentação electrónica. Os GNOD chegam do Reino Unido erguidos numa metamorfose de sons, criando diferentes sonoridades a cada álbum com influência rock, noise e electrónica. No Milhões de Festa as suas singularidades unem-se sob a mesma residência artística num concerto que promete ser nada menos do que lendário.

The Gaslamp Killer é também um dos nomes já confirmados para o festival. Misturando o hip-hop com sonoridades árabes e elementos psicodélicos, já tocou no célebre festival Coachella, na Califórnia. Trabalhou também com nomes da indústria musical do hip-hop como Flying Lotus, que é aliás o fundador da editora à qual pertence.

Também da Califórnia chegam os Meatbodies com a sua sonoridade inspirada em temas psicadélicos e garage rock. Sendo comparados a Ty Segall, vêm pela primeira vez a Barcelos naquele que promete ser um dos grandes concertos da edição deste ano. Na bagagem trazem «Alice», o seu novo álbum lançado em Fevereiro passado.

De Berlim surgem-nos os TAU. Embora formados na capital alemã, a banda surge como uma fusão de diferentes nacionalidades. Aliando o psicadelismo ao krautrock, os seus ritmos hipnóticos não deixam ninguém indiferente.

Com 58 primaveras e muita energia para dar temos ainda DJ Katapila. Aliando música house com a música tradicional do Gana, de onde é originário, ganhou o seu nome que nem um troféu, isto porque diz-se capaz de sair de festa para festa durante três dias sempre a girar os discos e em Barcelos iremos ter oportunidade de o testemunhar.

Dos EUA chegam-nos também os Enablers, uma banda que tem como particularidade no seu som o facto de que utilizam a spoken word, declamada pelo frontman Pete Simonelli, autor publicado e poeta, embalada pelo post-rock já tão singular da banda.

De Newcastle, Inglaterra, surgem os Pigs Pigs Pigs Pigs Pigs Pigs Pigs. A cada repetição do nome do animal pode dizer-se que se o entusiasmo para ouvi-lo vai crescendo também, e seria um axioma. Trazem na bagagem um novo álbum, editado em Janeiro deste ano e prometem muitos riffs  com o seu já célebre psicadelismo nas margens do rio Cávado.

Da Noruega vêm os Brutal Blues, também eles com um novo álbum na bagagem, lançado em Março deste ano. A dicotomia do nome desta banda pode resumir-se de forma clara: a palavra chave é «brutal». Uma sonoridade brutal, inspirada no grindcore, para afastar os blues daqueles dias mais cinzentos.

O Milhões de Festa está de regresso a Barcelos dos dias 20 a 23 de Julho. Os passes gerais já se encontram à venda por 55€ até ao dia 2 de Julho, sendo que a partir do dia 3 de Julho os preços fixam-se a 60€.

Fotos: ©Milhões de Festa

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

As margens do rio Cávado já se preparam para receber os dias quentes e as sonoridades únicas que

Não fosse o Minho o palco principal do Milhões de Festa não poderia faltar o singular conceito d

As palavras “Milhões de Festa” fazem-nos criar imediatamente imagens mentais— as paisagens d