Mário Cláudio vence o XXII Grande Prémio de Literatura dst

1 JULHO, 2017 -

No passado dia 30 de junho, o DST Group afirmou incisivamente o seu mecenato às artes, à literatura, à dança, à música, ao teatro, enfim, à cultura. O grupo assegura “uma cultura de construção que constrói cultura”, não permitindo o equívoco e fundamentando as suas palavras. Ainda que fosse uma noite consagrada à literatura, o grupo de empresas bracarense contagiou o público com a harmonia das outras artes: a dança, com a performance da bailarina Maria Teresa Teixeira; o teatro, com a já prestigiada Companhia de Teatro de Braga; e a música, que se fez explodir na atuação dos Linda Martini.

O Grande Prémio de Literatura dst teve lugar no Theatro Circo e marcou o principiar da Feira do Livro de Braga 2017, que decorrerá na Avenida Central, de 30 de junho a 16 de julho. O galardão, atribuído desde 1994, apresenta um caráter rotativo, premiando a prosa e a poesia portuguesas alternadamente. No passado, distinguiram nomes como Orlando Albuquerque, Maria Ondina Braga, Mário de Carvalho, Gastão Cruz, Nuno Júdice, A. M. Pires Cabral, Maria Velho da Costa e Manuel Alegre. Porém, é em 2017 que se regista o mais elevado número de candidaturas da história do prémio: 150. Entre os inúmeros candidatos, o júri composto por Vítor Manuel Aguiar e Silva, Carlos Mendes de Sousa e José Manuel Mendes elegeu unanimemente Astronomia, de Mário Cláudio, como a obra vencedora do XXII Grande Prémio de Literatura dst.

O evento contou com a presença do Ministro da Cultura, Luís Filipe de Castro Mendes; da Vereadora da Cultura do Município de Braga, Lídia Dias; do Presidente do Conselho Administrativo do DST Group, José Teixeira e, por fim, do Representante do Júri e do Vencedor, o Prof. José Manuel Mendes.

José Teixeira difundiu os valores do grupo empresarial honesta e claramente. O mecenato não advém de uma preocupação social, mas resulta de uma estratégia puramente económica. A seu ver, o futuro das empresas assenta numa relação profunda com a máquina do conhecimento, enfatizando a relevância dos poetas, dos filósofos, dos pensadores, dos homens das artes e da cultura. Assim, acarretando uma perspetiva assaz vanguardista, o Presidente do Conselho Administrativo do DST Group afirmou o valor de uma cidade culta, de um país culto, de empresas cultas para que haja competitividade.

Luís Filipe de Castro Mendes, num tom intimista, asseverou a extrema importância da cultura. Não só referiu a relevância da escrita e do livro para um Portugal mais iluminado e conhecedor como as defendeu enquanto armas de batalha contra o populismo e a demagogia. O Ministro da Cultura reconheceu, ainda, as mudanças que advêm com o fluir do tempo. Nas suas palavras, o livro impresso não morrerá para dar lugar aos suportes digitais: eles coexistirão, servindo o leitor.

Sejamos gratos, porém, a estes mesmos suportes. Mário Cláudio não esteve presente na cerimónia, mas as suas palavras e imagem chegaram ao público através de um breve vídeo. Quase num ato de confissão, o escritor português abordou a obra galardoada, Astronomiae o significado e o poder da escrita. Este livro, que considera um romance autobiográfico, apresenta-se como uma indagação sobre o sentido da vida, tendo resultado de uma necessidade de ‘arrumar o mundo’. A obra divide-se em três partes – Nebulosa, Galáxia e Cosmos – que representam a infância, a maturidade e a velhice respetivamente. Como afirmou o autor, em Astronomia, narra a perda, as relações humanas, as harmonias e desarmonias e o inevitável fim do ciclo da vida. Mário Cláudio realçou, sobretudo, a escrita como uma paixão, uma necessidade, um veículo para a busca e para a procura. Afirmou, ainda, o processo de criação como uma viagem complexa, que descarta itinerários e programações. Por fim, o autor portuense, acompanhado de incontáveis livros, assegurou que a força física e a lucidez serão essenciais à possibilidade de escrita, num futuro de velhice. Apesar da ausência de Mário Cláudio no evento, o autor marcará presença na Feira do Livro de Braga 2017, no dia 16 de julho.

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

O aroma primaveril de Março proporciona momentos de grande inspiração que levam à criação de

Carl Sagan tornou-se um dos mais mediáticos promotores da ciência do século XX.