Obras de Basquiat regressam à Europa

6 OUTUBRO, 2016 -

Foi a 12 de agosto de 1988 que Jean-Michel Basquiat faleceu, de uma overdose, e se juntou ao célebre “Clube dos 27”. Contudo, até lá, já havia perpetuado a sua marca na arte underground dos anos 80.

O artista nova-iorquino começou por ganhar notoriedade enquanto parte da dupla de graffiti SAMO, que deixava frases em Lower East Side, Manhattan, nos anos 70. Viria depois a tornar-se um ícone da sua geração, versando nas suas obras paralelismos como riqueza/pobreza, integração/segregação, através da combinação de texto e imagem.

A pessoa negra é a protagonista na maioria das minhas pinturas. Apercebi-me de que não via muitas pinturas com pessoas negras”, afirmou o artista.

Untitled (1960)
Untitled (1960)

“I wanted to be a star, not a gallery mascot.”

Agora, o Barbican Centre, em Londres, anunciou a exposição Boom For Real, com mais de 100 obras do artista. O nome da exposição terá origem numa expressão usada por Basquiat para se referir a algo que adorava, aponta o The Guardian.

Atualmente, poucas obras de Basquiat se encontram em museus. A maioria é detida por coleccionadores privados, podendo contar-se entre eles Johnny Depp e Leonardo Dicaprio. Aliás, uma das obras do artista, Air Power (1984), pertencera à coleção privada de David Bowie e está agora em exposição na Sotheby’s, para ser leiloada em Novembro.

Jean-Michel Basquiat, Air Power, 1984/Fonte: Sotheby’s
Air Power, 1984. Fonte: Sotheby’s

Em conversa com a Artnet news, uma das curadoras da exposição, Eleanor Nairne, explicou: “Se tens menos de 40 anos, é muito improvável que tenhas posto os olhos numa das suas obras. Por esse motivo, esta exposição não poderia ser mais urgente”.

A exposição decorrerá entre 21 de setembro de 2017 e 28 de janeiro de 2018. No entanto, os bilhetes entrarão à venda já na próxima segunda-feira, dia 10 de outubro. O bilhete normal custará 16 libras (cerca de 18 euros), havendo descontos para estudantes.

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

Inaugurou ontem, terça-feira, no Centro Cultural de Belém a exposição

No antigo Museu da Electricidade, e agora Museu de Arte,

Instalação Rorschach de Carla Filipe, fotografia de Diogo Caetano Em Vantag

Uma exposição com dezenas de “Livros Proibidos na Ditadura de Salazar” abre