‘Livro do Desassossego’ e ‘O Banqueiro Anarquista’ traduzidos pela primeira vez em russo

2 ABRIL, 2016 -

A Poesia de Fernando Pessoa já saiu em russo depois da revolução de Abril e a sua prosa nunca foi traduzida. Acontece agora, por uma razão que custa explicar, que duas editoras em Moscovo lançam em simultâneo duas obras do autor português excelentemente traduzidas para russo, segundo o jornalista Evgueni Mouravitch, da RTP1.

O “Livro do Desassossego“, em russo, é fruto do trabalho ao longo dos anos pela tradutora Iryna Feshchenko-Skvortsova, residente em Portugal. É uma obra consoante a contemporaneidade vivida pela Rússia, justificam os editores.

“Pessoa é um escritor sobre tempos de mudança, cataclismos e tensões históricas.”

Outro livro lançado pela editora da Biblioteca de Línguas Estrangeiras de Moscovo, que já publicou os Lusíadas em russo, incluiu ‘O Banqueiro Anarquista’ e outros Contos. Os tradutores resolveram publicar também o original português o que facilita a leitura àqueles que estudam o idioma camoniano.

“Foi muito difícil quando traduzi, mas agora, quando leio, estou muito satisfeito penso como é que consegui traduzir”, disse o tradutor da obra.

O trabalho foi apoiado pelo instituto Camões e pela embaixada de Portugal na Rússia e ficou altamente apreciado pela Casa de Fernando Pessoa, em Lisboa.

“Se pode ser lido de acordo com o momento histórico de quem lê, na sua tradução ou no seu lugar, penso que a boa literatura tem essa boa capacidade, de diálogo, de inquietação e de colocar perguntas. Do ponto de vista acho que Pessoa traduzido hoje para russo tem potencial para o fazer”, disse a representante da Casa Fernando Pessoa, em Moscovo.

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

Celebra-se hoje a passagem pelo 128.º aniversário do nascimento de Fernando P

Hábitos: comprar livros, folhear jornais e deambular. Perfil: solitário, genial, amante do conhe

Almada Negreiros, essencialmente autodidata (não frequentou qualquer escola de en

A delegação francesa da Fundação Calouste Gulbenk