‘Killing Commendatore’, novo livro de Haruki Murakami, saiu ontem e há quem já o tenha lido

25 FEVEREIRO, 2017 -

O escritor japonês Haruki Murakami é um dos mais célebres e aclamados autores contemporâneos, sendo autor de êxitos como “Norwegian Wood” ou “Kafka À Beira-Mar“. Por tudo isto e por muito mais, e segundo Asahi Shimbun, um dos jornais diários mais respeitados do Japão, as livrarias de Tóquio abriram ontem mais cedo do que o normal e os fãs de Murakami correram para agarrar uma cópia do romance “Kishidancho Goroshi“, ou “Killing Commendatore“,  para lerem algumas páginas a caminho do trabalho.

Killing Commendatore” tem dois volumes e é o último livro publicado pelo autor nipónico desde “Colorless Tsukuru Tazaki and His Years of Pilgrimage“, lançado em 2013. Segundo o Asahi Shimbun, o outlet principal da Yaesu Book Center, em frente à estação JR Tokyo, abriu as 7h30, duas horas e meia mais cedo do horário normal, para vender a nova obra de Murakami. Um dos clientes, de 50 anos, disse que saiu meia hora mais cedo de casa para parar na livraria e comprar o livro: “Vim mais cedo porque queria ler nem que fosse só um pouco antes de começar a trabalhar” e disse ainda “o título do livro aumentou as minhas expectativas“.

É de relembrar que o título do romance foi a única coisa que a editora Shinchosha Publishing Co. publicitou antes de preencher as prateleiras, a lógica adoptada pela editora aguçou ainda mais o entusiasmo dos fãs.

Segundo o Asahi Shimbun, Kunio Nakamura, de 45 anos, e dono do Rokujigen, café que virou ponto de encontro dos fãs de Haruki Murakami, fez directa para ler todo o livro. Para Nakamura o novo livro é: “Numa palavra, é o best hits album” e acrescentou ainda “Imagens que só o Haruki consegue revelar e que só podem ser encontradas através do seu trabalho. É um tesouro de metáforas. Eu recomendo-o mesmo para leitores que nunca leram o autor, porque o romance desenvolve-se numa forma muito suave e ritmada.”

Por fim, e ainda segundo o Asahi Shimbun, o romance de Murakami anda à volta de um artista de retratos que é desconhecido e que se muda do seu condomínio em Tóquio para uma casa antiga nos arredores de Odawara, uma cidade japonesa localizada na província de Kanagawa, isto depois da sua esposa pedir o divórcio. Entre muitas questões que a personagem principal enfrenta, uma delas é o sentido de uma pintura que encontra no sótão assim como o passado de um homem com um apelido estranho e que o artista acaba por conhecer.

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

Os três grandes nomes da literatura actual fazem parte do painel da 3a edição do Festi

O escritor japonês Haruki Murakami é um dos mais célebres e aclamados autores c

O escritor japonês Haruki Murakami foi anunciado como o vencedor do prémio Hans Christian

Se há obra de Haruki Murakami que deve ser obrigatória — e não apenas pelo se