Justin Vernon critica Beyoncé por se envolver em campanhas publicitárias de grandes marcas

26 SETEMBRO, 2016 -

Justin Vernon deu uma entrevista ao jornal britânico The Guardian e falou abertamente de Beyoncé por esta assinar contratos de milhões, como fez com a Pepsi, que patrocina vários projectos da artista em troca da publicidade, e ser ao mesmo tempo um exemplo para os adolescentes.

Vernon disse mesmo: “Não podes ser presunçoso, mas tens de ter um bocadinho de noção“, e acrescentou: “Tens de acreditar em algo. Não podes receber dois milhões de dólares da Pepsi e querer ser um modelo para as raparigas mais novas. Isso enfurece-me e sinto que não tenho medo de falar disso“.

Já Robin Pecknold, guitarrista e vocalista da banda Fleet Foxes, fez um trocadilho no seu instagram, partilhando uma imagem do conto para crianças O Rei Vai Nu e escrevendo: “Existe algum cocktail com Pepsi e Bushmills? Vou chamar-lhe ‘O Patriarcado’“. Ou seja, o músico deu a entender que Justin Vernon estaria a ser hipócrita, uma vez que que ele próprio já deu a cara pela Bushmills, num anúncio de 2011, e que isso lhe permitiu pagar um estúdio. No entanto, é de relembrar que Vernon se sente “arrependido” por o ter feito.

Na mesma entrevista ao The Guardian, o mentor do projecto Bon Iver explica que se tem oposto às marcas e que por esse mesmo motivo deixará de dar tantos concertos, dizendo mesmo: “Percebi que tocar para a Live Nation é uma treta, que se f*** isso. Cresci a gostar de bandas como as Indigo Girls, que acreditavam em algo, davam concertos de beneficência e falavam sobre mudar a cultura, ou mudar a maneira de pensar das pessoas“, disse, e questionou ainda: “Para que serve a música? Não é para se ter uma carrada de CDs“.

22, A Million, o novo álbum de Bon Iver, sai na próxima sexta-feira.

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

Algo que o tempo invariavelmente ensina é que opinar sobre algo, sem reflexão e conhecimentos mí

O ano de 2016 ficou marcado pela perda de alguns ícones da música mundial. Logo no início do ano