Jean-Paul Belmondo e Jerzy Skolimowski vão receber Leão de Ouro no Festival de Veneza

14 JULHO, 2016 -

O actor francês Jean-Paul Belmondo e o realizador polaco Jerzy Skolimowski vão ser galardoados com o Leão de Ouro no Festival de Veneza pelas suas carreiras, anunciou hoje a organização.

A decisão foi tomada pela direcção da bienal de Veneza, que organiza o festival de cinema, cuja 73.ª edição se realiza este ano entre 31 de Agosto e 10 de Setembro.

A eleição de Belmondo e Skolimowski foi proposta pelo director da mostra veneziana, Alberto Barbera, de acordo com um comunicado do festival citado pela agência espanhola Efe.

Trata-se da primeira vez que o festival concede este galardão, que passa agora a ser atribuído todos os anos em duas categorias: realização ou carreiras no âmbito da realização, e actor ou actriz ou representantes do mundo da interpretação.

Jean-Paul Belmondo, “ícone do cinema francês e internacional, soube interpretar como ninguém a inspiração da modernidade típica da ‘nouvelle vague’ através dos personagens alienados de ‘À double tour’ (1959), de Claude Chabrol; ‘O Acossado’ e “Pedro, o Louco’, ambos de Jean-Luc Godard“, declarou o festival.

A organização do evento destaca especialmente a forma como Belmondo veste a pele de Michel Poiccard/Lászlo Kovacs em ‘O Acossado’, em que compôs “a figura do anti-herói provocador e sedutor, muito diferente dos estereótipos hollywoodianos em que se inspirava o próprio Godard“.

Belmondo mostra “um rosto maravilhoso, uma simpatia irresistível, uma versatilidade extraordinária“, declarou Alberto Barbera.

Quanto a Skolimowski, acrescentou o director do festival, o polaco é um dos “cineastas mais representativos daquele cinema moderno nascido com as ‘nouvelles vagues’ dos anos sessenta e, com Roman Polansky, o realizador que mais contribuiu para a renovação do cinema polaco na época“.

A trilogia realizada na Polónia na sua juventude, ‘Ryopsis’ (1964), ‘Walkover’ (1965) e ‘Muro’ (1966) “foi para todos os países de leste o que os primeiros filmes de Godard foram para o cinema ocidental“, considerou Barbera.

As películas mais recentes do realizador polaco – ‘Quatro noites com Ana’ (2008), ‘Essential killing’ (2010, prémio especial do júri em Veneza) e ’11 minutos’ – “manifestam uma capacidade inesgotável e surpreendente de renovação, que o colocam por direito próprio entre os autores mais combativos e originais do cinema contemporâneo“, de acordo com o festival.

O realizador de ‘Quatro noites com Anna’, que marcou o seu regresso ao cinema após 17 anos em que se dedicou à pintura, venceu em 2015 em Portugal o prémio de Melhor Filme do Lisbon & Estoril Film Festival com “11 minutos”, filme que nesse ano foi também nomeado para o Leão de Ouro no Festival de Veneza e que o comité da Polónia escolheu para candidato ao Óscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2016.

Texto Lusa

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

Arrival, novo filme de Denis Villeneuve, e N

Foram anunciados todos os filmes nomeados para a

São Jorge, que deu o prémio de Melhor Actor a

Foi hoje anunciado o programa completo da 73ª edição do Festival