Gustave Courbet o pioneiro do estilo realista francês

11 JUNHO, 2016 -

Gustave Courbet nasceu a 10 de Junho de 1819, em Ornans, numa pequena cidade francesa e no ceio de uma família abastada e proprietária de diferentes terrenos de agricultura e de criação de gado.

Cedo se interessou pelo desenho e pela política.Por volta do 12/13 anos começou a sua formação artística com a sua  primeira aula de pintura dada por um artista local. Ao longo do tempo Gustave vem a desenvolver cada vez mais o seu gosto e dedicação pela arte. É neste período que Gustave se muda para Paris, fazendo visitas recorrentes ao Museu Louvre. Com a repetição destas ditas visitas, a sua cultura visual foi aumentando e Courbet começou a fazer copias de alguns dos quadros que via como quadros de Caravaggio, Rubens, Zurbarán, Rembrandt, entre outros.

Neste altura desenvolve uma pintura mais virada para si mesmo, pintava mais figuras masculinas, mais pormenorizadas, e centrava-se essencialmente para os auto-retractos, como é o caso do célebre quadro “The Desperate Man”.

Courbet sempre foi um pintor que criou alguma controvérsia à sua volta, primeiramente pela lacuna criada entre as escolas Impressionistas e Romanticistas . Nenhuma destas escolas definia a pintura de Courbet.

Courbet era um pintor realista e não adereçava qualquer tipo de pintura vinda da imaginação, dos sonhos ou mesmo vinda  da literatura. Ele retratava com as suas pinturas a vida que estava à sua volta. Principalmente as questões da vida camponesa, questões relacionadas com a pobreza e com as condições de trabalho.

A sua pintura é uma pintura marcada com pinceladas fortes com textura, com forma e eram baseadas no dia a dia que observava. Com o passar dos anos tornou-se cada vez mais polémico.

Em 1860 começa a retratar o corpo feminino e a sua nudez.  Nesta altura era já um pintor bastante célebre,  conhecido não só pelas suas técnicas inovadoras na pintura, mas também pela sua visão crítica sobre a vida e sobre o mundo em que vivia.

Socialista convicto, pretendia desafiar as leis e as regras da altura. Resolveu mais uma vez criar polémica com a pintura do quadro “The Origin of the World”. Este quadro evidentemente que naquela altura foi algo chocante e desafiador. Era um quadro que exibia uma nudez feminina bastante explicita e sem vergonha, foi assim que Gustave a pintou. O público ,naquela altura, contrariamente acha-a demasiado direta, demasiado realista e profundamente vergonhosa.  Algo que era até então intimista passou a ser público.

Com esta pintura nasceu uma diferente atitude, por parte de quem via e por parte de quem criava. A “Origem do Mundo” foi um quadro que Courbet pintou de forma a exibir a sua posição contra o academismo e contra a hipocrisia vivida na sociedade oitocentista.

Para o público há uma especie de libertação do olho, dos estereótipos. E esta libertação volta ao artista que se expressa com total emancipação. E é assim que celebramos o aniversário deste grande pintor que abriu algumas portas para a pintura moderna e pela mudança da opinião público em relação ao que vê.

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

Vincent Willem van Gogh

Os dados estão lançados: a estreia do “Estou nas Tintas” é já no dia 6 de Janeiro. Um progr

Esta crónica foi escrita depois da

Há desde o início uma vontade de desafiar o espectador por parte de Alexander Sokurov