‘Good Boys’, dos portugueses Stone Dead, é um clássico de rock ‘n roll

6 JUNHO, 2017 -

Herdeiros frenéticos de The Beatles e Oasis com Bruno Monteiro a lembrar Paul McCartney e João Branco a lembrar Liam Gallagher num dueto sublime acompanhados por Jonas Gonçalves e Leonardo Batista que completam a harmonia perfeita deste clássico de rock n roll. Riffs de cortar a respiração a cargo de Jonas Gonçalves e o baixo avassalador de Leonardo Batista ajudam a contar a história de Tony Blue, o miúdo sorridente que vemos na capa, e que João Branco e Bruno Monteiro vão narrando música após música. Depois de «The Stone John Experience» os rapazes de Alcobaça voltam em força e com o rock ‘n roll a correr-lhe nas veias.

O álbum tem um pontapé de saída explosivo com «Blooze» que logo ali anuncia que o anfitrião será Tony Blue, a personagem sobre a qual o trabalho foi desenvolvido, num início de puro rock ‘n roll. Segue-se «Floating» e o título não poderia ser mais adequado; uma atmosfera singular com a voz de Bruno Monteiro a fazer-nos levitar pelo espaço e tempo. «Moonchild» não nos deixa indiferentes com um riff sublime que é antecedido por pinceladas de rock de classe. Segue-se «Apple Trees» e por esta altura já se começa a aceitar a premissa inevitável de que este é um álbum a repetir inúmeras vezes, um verdadeiro clássico do rock ‘n roll, e novamente um riff sublime pelos dedos de Jonas Gonçalves que nos enche a alma. «Candy» traz João Branco na voz e uma reminiscência a Oasis com a irreverência de Sex Pistols, numa singularidade já tão única destes rapazes de Alcobaça. De Manchester dos anos 90 para Liverpool nos anos 60 chega «Johnny Puke», uma daquelas músicas que de imediato nos lembra de The Beatles pela atmosfera e pela genialidade. «Lid Routine» aguça o apetite para «Good Boys» numa sublime performance de João Branco a cargo da voz a lembrar os irmãos Gallagher nos anos de ouro de Manchester. «Another Wine» leva-nos de novo para Liverpool nos anos 60, afirmando este álbum como um perfeito híbrido entre a genialidade da inspiração de The Beatles e Oasis nas gerações de hoje. Chegámos ao fim do álbum como começámos: com rock ‘n roll puro a cargo de «Turn Around», quatro rapazes, muito rock e um final monumental.

Embora ainda tenha sido lançado há poucos meses, «Good Boys» começa já a afirmar-se como um dos melhores álbuns de rock produzidos em Portugal nas últimas décadas, e consolida também os Stone Dead como uma das melhores bandas de rock portuguesas da atualidade. Será certamente um dos álbuns a manter perto do gira-discos para ouvir vezes e vezes sem conta.

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS