Género e Identidade debatidos em ciclo de cinema no Espaço Nimas

31 JANEIRO, 2017 -

Entre 15 de Fevereiro e 19 de Julho, o ESPAÇO NIMAS (Lisboa) será o lugar privilegiado para debater, a partir da exibição de doze filmes, a articulação entre GÉNERO e IDENTIDADE. Em sessões quinzenais, sempre à quarta-feira, às 19h00, exibiremos várias obras, clássicas e contemporâneas, que funcionam como exemplos transgressores em relação aos códigos e costumes dominantes nas suas épocas. Após a projecção dos filmes terá lugar um debate com investigadores e críticos de Cinema, especialistas em Estudos de Género, escritores, artistas e outros.

O ciclo GÉNERO & IDENTIDADE é uma iniciativa da LEOPARDO FILMES, da MEDEIA FILMES e do INSTITUO DE HISTÓRIA DA ARTE da FCSH/NOVA. A programação completa está disponível AQUI.

Ao longo da sua história, o cinema foi, muitas vezes, arte e veículo transgressor, por vezes de forma radical e aberta, outras forçado a dissimular, digamos assim, para contornar a censura, de uma releitura e desconstrução dos clássicos papéis atribuídos ao feminino e masculino. Relevando o papel que esta problemática ocupa na articulação com as múltiplas dimensões do “político” e, particularmente, das chamadas “políticas da identidade”, o cinema tem permitido aflorar tópicos tão sensíveis como o questionamento dos padrões da “normalidade”, dramatizando conflitos e dilemas existenciais afectos aos difíceis processos de construção e reinvenção da identidade e trazendo para o centro do debate os temas da censura, da proibição e do tabu em íntima correlação com os do preconceito, poder, hierarquia, sexismo, exploração e repressão sexual. É a partir destas coordenadas que se constitui o programa do ciclo GÉNERO & IDENTIDADE, com curadoria de Bruno Marques, Luís Mendonça, Mariana Gaspar e Sabrina D. Marques.

Na primeira sessão, no dia 15 de Fevereiro às 19h00, no “primeiro capítulo” do ciclo, (Re)definições do feminino, será exibido A ACADEMIA DAS MUSAS, de José Luis Guerin. Após a projecção do filme, haverá um debate com Clara Rowland e Elisabete Marques, com moderação de Luís Mendonça.

Clara Rowland é, desde Outubro de 2016, Professora Associada no Departamento de Estudos Portugueses da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Entre 2003 e 2016 foi docente da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde coordenou o projeto FCT “Falso Movimento – estudos sobre escrita e cinema”, no âmbito do qual editou, com José Bértolo, A escrita do Cinema: Ensaios (Documenta, 2015) e, com Tom Conley, Falso Movimento: ensaios sobre escrita e cinema (Cotovia, 2016). Desenvolve o seu trabalho nas áreas da Literatura Brasileira, da Literatura Comparada e dos Estudos Interartes. O seu livro A Forma do Meio. Livro e Narração na obra de João Guimarães Rosa foi publicado em 2011 pela Editora da Unicamp (Brasil).

Elisabete Marques é doutorada pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, com uma dissertação sobre Maurice Blanchot e Samuel Beckett. Em 2014, publica o seu primeiro livro de poesia, Cisco, pela editora Mariposa Azual. Prepara o segundo livro, que será publicado este ano.

Luís Mendonça é doutor em Ciências da Comunicação pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, sob orientação da Professora Doutora Margarida Medeiros. Tem mestrado na mesma área e pela mesma faculdade, na especialidade de Cinema e Televisão, sob orientação do Professor Doutor João Mário Grilo. Co-fundou e é um dos editores do site de cinema À pala de Walsh.

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

'How to Become Nothing' junta no Espaço Nimas, a 19 de M

Greg Sestero foi o convidado de honra da

Já imaginaram ficarem presos no mesmo dia, na mesma cidade? Ver as mesmas pessoas, a dizerem e a f

Lágrimas de Sal, escrito pelo médico Pietro Bartolo e