Estúdio do Porto mostra como construir edifícios em três meses

25 MAIO, 2016 -

Um estúdio de arquitetura do Porto vai apresentar um sistema que permite a construção e montagem de edifícios, em cerca de três meses, na edição deste ano da Bienal de Veneza, que se realiza de 28 de maio, sábado, a 27 de novembro.

O projeto foi desenvolvido pela ‘startup’ (empresa em fase de desenvolvimento) Summary, fundada pelo arquiteto Samuel Gonçalves, em 2015, sendo o estúdio “mais jovem” convidado para participar nesta edição, de acordo com comunicado sobre a iniciativa.

A instalação apresentada na bienal, intitulada ‘Infrastructure – Structure – Architecture’, propõe “uma resposta concreta para um dos principais desafios da arquitetura contemporânea: acelerar e simplificar os processos construtivos”, lê-se ainda no documento.

SISTEMA_GOMOS__axos

Esta apresentação tem por base o projeto GOMOS, um sistema modular que permite a construção de edifícios de betão armado num período “seis a sete meses inferior à média de tempo de construção no país, sem comprometer a qualidade estrutural do sistema”, indicou à Lusa Samuel Gonçalves.

“É um sistema de construção flexível e evolutivo, baseado em módulos de betão”, indicou o arquiteto, explicando que “o processo [se] divide em quatro fases: a produção da estrutura, a instalação dos equipamentos e acabamentos, o transporte e a assemblagem.”

sistemagomos

Os módulos, já com acabamentos exteriores e interiores, “são produzidos em fábrica durante três meses e montados no local, em cerca de três dias”, referiu.

De acordo com o arquiteto, “as pessoas movem-se cada vez mais rápido em termos globais e, por outro lado, há uma crescente necessidade de imediatismo por parte de uma sociedade acelerada, que todos os dias recorre a marcas e serviços que a satisfaçam”.

Esses dois fatores “colocam o mesmo desafio à arquitetura, que passa pela otimização do tempo e de recursos, a grande chave para este projeto”, acrescentou.

Segundo o fundador da ‘startup’, a presença na bienal vai permitir à equipa responsável pelo Summary ter contacto com outros estúdios, arquitetos e técnicos, bem como mostrar o trabalho desenvolvido, visto ser este “um excelente espaço para partilha de experiências”.

A ideia para a criação da ‘startup’ surgiu antes de Samuel Gonçalves concluir o curso na Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto, tendo sido concretizada quando reuniu as “condições financeiras e experiência” necessária para tal, há cerca de um ano.

Desde a fundação, a empresa está ‘incubada’ no Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (UPTEC), e da equipa fazem parte Gonçalo Vaz de Carvalho e Maria João Freitas.

Nesta edição da bienal vão participar outros seis estúdios portugueses, e a representação nacional é marcada pelo projeto ‘Neighbourhood: Where Alvaro meets Aldo’, desenvolvido por Nuno Grande e Roberto Cremascoli, sobre projetos de habitação social dos arquitetos Álvaro Siza Vieira e Aldo Rossi.

A participação do estúdio Summary na bienal tem o apoio da Associação Empresarial de Cambra e Arouca (AECA), da empresa Building Pictures, das câmaras municipais de Arouca e do Porto, do Grupo Farcimar e da SSD – Soluções em Madeira.

A 15.ª Bienal de Arquitetura de Veneza conta com a presença de 88 estúdios de arquitetura, de 37 países.

‘Reporting from the front’ é o título desta edição, que tem curadoria do chileno Alejandro Aravena, recém-distinguido com o Prémio Pritzker de arquitetura, diretor executivo do coletivo Elemental, centrado em projetos de interesse público, com impacto social, que defende a importância da arquitetura na vida das pessoas.

Texto Lusa

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

A dupla de arquitetos chineses Wang Shu e Lu Wenyu, fundadores do Amateur Archi

Fontes como iTunes, BookRix ou Projeto Gutemberg

Eduardo Souto de Moura é um dos nomes grandes da edificação portuguesa. Portuense de gema, foram

A arquiteta Marta Sequeira foi distinguida este ano com um prémio de investigação pela Fundaçã