‘Erro extremo’: Primeiro livro de crónicas de Miguel Tamen já chegou às livrarias portuguesas

11 JANEIRO, 2017 -

O primeiro livro de crónicas de Miguel Tamen, ‘Erro extremo‘, já chegou às livrarias, pela mão da editora Tinta-da-china, dando a conhecer ao grande público o trabalho do intelectual português.

Pela primeira vez reunidas em livro, as crónicas do professor universitário e colunista abordam com humor e ironia temas diversos que vão da defesa da liberdade de expressão ao repúdio do Acordo Ortográfico, da crítica ao sistema educativo português ao desinteresse dos noticiários televisivos.

Ao longo das 230 páginas, o leitor pode folhear ainda crónicas dedicadas a temas como a importância do café, os mistérios do exercício físico, o pau da selfie, o feng shui, a misantropia, os rituais funerários, a batalha naval, a fuga de cérebros, ou o pequeno-almoço nas novelas portuguesas.

Há pouco que escape à malha apertada da análise certeira, irónica, muitas vezes corrosiva de Miguel Tamen“, pode ler-se na contracapa do livro.

A obra agora publicada contém todos os ensaios que escreveu para o jornal Observador, entre maio de 2014 e junho de 2016, sendo republicados pela sua ordem original, tal como foram pensados e para onde foram pensados.

Escrever ensaios para um jornal implica a convicção de que é possível falar para muita gente; essa convicção é o erro a que alude o título deste livro“, afirma Miguel Tamen, no prefácio da obra, explicando que “o erro é no caso dos jornais modernos aumentado por um segundo erro, que muitos autores e leitores cometem, que é o de imaginarem que os outros estão sempre interessados nas suas opiniões“.

Miguel Tamen prossegue, com o mesmo tom, afirmando que “o resultado cruzado destes dois erros é a ideia de que a liberdade de expressão resulta da soma de opiniões partilhadas por todos com o dever de ter opiniões sobre tudo“.

Este é, de resto, o tema do primeiro ensaio do livro, que abre com uma comparação entre uma iogurteira e a internet, afirmando que da mesma forma que a iogurteira cria a obrigação de fazer iogurte, também a internet suscita a necessidade de dar “opiniões firmes sobre os assuntos mais variados“.

No entanto, Miguel Tamen explica que sempre defendeu um ponto intermédio: “O melhor exemplo de liberdade de expressão é pelo contrário não sentirmos obrigação de ter opiniões sobre todas as coisas; e também não nos sentirmos lisonjeados quando as opiniões dos outros coincidem com as nossas“.

Ainda a propósito, Miguel Tamen diz que todos os ensaios do livro ilustram as duas teses.

Sobre o autor, que é também colunista regular na revista “Common Knowledge“, escreveu Pedro Mexia a propósito de um outro livro – “Artigos Portugueses” – que “privilegia a lógica, a clareza, a comunicabilidade, mas também uma espécie de «senso comum» “, que é na verdade “um senso incomum“, que “desmonta falsas evidências e engodos sentimentais, ideológicos e metafísicos“.

Texto de Lusa

Comentários

Artigos que poderão ser do teu interesse

ARTIGOS RELACIONADOS

Miguel Tamen, professor universitário e director do Programa em Teoria da Literatura na Universida